Brasil x Canadá: Segurança das cadeiras para auto

Na nossa última viagem ao Brasil não levamos nossos car seats (cadeiras para auto). Nos ofereceram uma cadeira emprestada e decidimos comprar outra e deixar lá para não precisar levar toda vez que formos ao Brasil. Afinal quanto menos trambolho melhor né?

Assim que vi as cadeiras brasileiras percebi que faltava uma coisa, em relação as canadenses: as cadeiras daqui possuem uma presilha (não sei bem se o nome é esse) entre os cintos que vão sobre o ombro, as caderinhas daí não!

Cadeira brasileira

car seat

Cadeira canadense

Acontece que a falta dessa presilha faz uma grande diferença! A presilha evita que criança tire os cintos e faz com que elas fiquem bem seguras na cadeirinha. E, exatamente como pensei, minhas filhas colocaram os braços entre os dois cintos, se soltaram e ficaram presas apenas nas pernas. Mesmo apertando bem o cinto ainda conseguiam tirar. Fiquei bastante irritada e fui pesquisar sobre a segurança das cadeiras brasileiras e descobri que após um teste realizado pela Proteste constatou-se que as cadeiras do Brasil não são tão seguras quanto as vendidas no exterior, mesmo tendo o selo de aprovação do Inmetro. Choquei! Revoltei!

“Constatamos que as cadeirinhas vendidas no Brasil não trazem a segurança que prometem. Há riscos das crianças se machucarem”, disse uma advogada da Proteste.

Foram realizadas simulações de impacto frontal a 64 km/h e lateral a 28 km/h. Algumas das cadeiras permitiram que os bonecos se deslocassem e/ou batessem com a cabeça na lateral do carro. Sem comentários… 🙁 Imagine o que poderia acontecer com as crianças numa velocidade maior.

O sistema que prende a cadeira no carro também é diferente, pelo menos nos modelos que estavam comigo. Aqui temos um sistema de âncoras (LATCH) para prender a cadeira no carro. Aí tive que prender apenas com o cinto de segurança, o que não deixa a cadeira bem presa no banco do carro. Fica meio balançando.

Um cabo prende a parte superior. Na parte inferior o cabo de segurança fica preso numas presilhas no carro. Fonte: US Department of Health

No quesito conforto as cadeiras brasileiras também deixam muito a desejar. Embaixo do forro não tem nada acolchoado, é duro. O forro é colocado diretamente sobre um isopor e plástico duros.  Minhas filhas, que aqui não tem problemas em sentar na cadeirinha, ficaram super inquietas e choraram bastante. O tecido usado é sintético e plastificado, super calorento. Diante do incômodo as duas arrancavam o cinto o tempo inteiro tentando sair da cadeira.

As cadeiras que usei são de marcas boas, Graco e Burigotto(Pég-Perego), que vendem modelos similares muito mais confortáveis no exterior. Não dá para entender o motivo da baixa qualidade no Brasil, afinal se eles sabem fazer bem feito por que não fazem?

A principal finalidade desse post é alertar sobre a questão da segurança e qualidade dos produtos que são vendidos no Brasil. O resultado do teste de segurança foi divulgado em Julho de 2012 e não houve nenhuma mudança até agora. Vale lembrar que mesmo que a cadeirinha não seja a melhor do mundo ainda é melhor do que nada, as crianças não devem andar no carro sem cadeirinha. 

Mais informações sobre o teste de segurança

Bom Dia Brasil

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Halyne disse:

    Livi, estou levando meu bebê conforto que comprei nos EUA, essa tb não posso usar? Ela é a Chicco Bravo, sabe me dizer?

  2. jose Schmitd disse:

    E que no Brazil nao tem controle de qualidade, tudo nas coxas mesmo. O importante e lucro.

Deixe um Comentário