O tal do desfralde

Quem não quiser saber de número 1 ou número 2 melhor nem ler rsrsrs.

Ensinar Elena a parar de usar fraldas e usar o banheiro não foi tarefa fácil. Não que ela não estivesse pronta fisicamente, eu é que não sabia por onde começar, achava que ia ser um bicho de sete cabeças. Quando estamos perto da família sempre tem gente com experiência para ajudar. Quem está longe tem que se virar.

Li bastante antes de começar a treiná-la e sabia que não podia forçar nem brigar, tinha que ser um coisa natural. Quando começar e como fazer depende de cada criança. Ela já dava sinais que estava pronta para o desfralde (veja uma lista dos sinais aqui). Decidi começar alguns meses antes da Sophia nascer.

Ela ficou curiosa se empolgou com a idéia mas como estava cansada e preguiçosa no fim da gravidez acabei deixando para depois, afinal sabia que haveria uma regressão depois que a irmã nascesse. Acho que esse foi o meu erro, devia ter continuado, talvez ela não tivesse regridido tanto.

Depois do nascimento de Sophia a coisa foi bem diferente, ela não queria nem saber de penico. O ciúme da irmã era tanto que ela queria fazer tudo como bebê. Coloquei o penico na sala para que ela se lembrasse de usá-lo (aqui em casa o banheiro é no primeiro andar, não tem lavabo no térreo). Ela não quis nem saber. Coloquei a boneca para fazer pipi, coloquei Sophia para fazer pipi, e quase sentei para fazer também. Nada.

Um belo dia tive a idéia de enfeitar o penico com adesivos da Dora, que ela adora. Ela ficou animada e foi colando as figurinhas na tampa e na parte de fora do penico rosa. Fiquei com aquele adorno rosa cheio de adesivos da Dora na sala por mais de um mês sem que sua dona resolvesse usá-lo. Tive que fazer um tratamento de choque em Setembro. Tirei a fralda e a deixei só de calcinha. Nas primeiras vezes que ela fez pipi se assustou pois molhou tudo. Aos poucos resolveu sentar-se no penico, e nós fazíamos a maior festa quando ela usava. Em poucos dias o adorno foi para o banheiro, ufa! Não teve acidentes depois disso, mas só usava o penico para fazer pipi. Ficava de calcinha o tempo inteiro mas na hora do número 2 pedia a fralda e se escondia atrás da cortina.

Como o processo já se arrastava por meses e ela só pedindo a fralda na hora do número 2 eu apelei para o método “Kinder Ovo” (fevereiro). Se ela usasse o penico para o número 2 ganhava um pedacinho do ovo de chocolate, quando conseguisse comer todo o ovo ganhava o brinquedo que tinha dentro. Funcionou!

O que faltava era trocar o penico pelo vaso sanitário e isso ela fez na nossa viagem para NY semana passada. Compramos um redutor e com jeitinho conseguimos que ela vencesse o medo e se sentasse no penico da mamãe, como ela chama.

Ela já sai só de calcinha e não faz pipi na cama a noite. Parabéns para Lelê que deu tchau a fraldinha.

Agora preciso arranjar um jeito de desviciar no Kinder Ovo. 🙂

Foto do Kinder Ovo by Calamity Meg on Flickr

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Sami disse:

    Nossa que maravilha!!Parabens para Lelê por mais um obstáculo vencido e parabens pra voce pela vitoria!!como voce mesma disse menos fralda pra vc trocar!!Morro so de pensar em dar conta de duas se só a Ti já esta me enlouquecendo e agora andando tá terrível porque quando saimos ela nao quer ficar no carrinho nem no colo mas na rua não quer andar,quer engatinhar….kkkkk

  2. celmartin disse:

    Que delícia acompanhar essa mocinha e os seus relatos. Caramba! Daqui a pouco tá lendo !
    bjs

  3. Fatima Mercier disse:

    Parabens para Eleninha! Nunca mais fraldas!! Agora so calcinhas!!!

Deixe um Comentário