Alfabetização de crianças bilíngues

Essa semana começaram as aulas por aqui e notei um aumento nas visualizações dos artigos relacionados ao assunto e muitas dúvidas também. Então achei legal responder em forma de posts.

alfabetizaçao-bilingue-1

Hoje vou relatar minhas experiências sobre bilinguismo, alfabetização e o que estou aprendendo com tudo isso.

Alfabetizo em dois idiomas simultaneamente ou não?

A minha maior dúvida era a mesma da maioria dos pais de crianças bilíngues e na verdade queria saber é se isso traria alguma vantagem para as minhas filhas e depois de pesquisar cheguei a conclusão que não traria nenhuma.

Então sou a favor de simplificar as coisas, não vejo motivo para despejar um excesso de informações sobre uma criança que está aprendendo a ler se isso não trará nenhum benefício. Optamos pela alfabetização em inglês primeiro, que é o que está sendo ensinado na escola. Depois o português.

Por quê?

Várias pesquisas sugerem que há transferência de conhecimento entre línguas no processo de alfabetização, especialmente quando as letras e sons são similares, como é o caso do inglês-português. Quanto mais parecido os idiomas, mais fácil para a criança transpor os sons. Leia mais nessa pesquisa da Universidade de York. Nessa mesma pesquisa eles falam que normalmente a criança bilíngue demora um pouco para ganhar vocabulário mas desenvolve um entendimento mais profundo da estrutura das línguas, o que facilita na alfabetização. Além das vantagens cognitivas em relação a um monolíngue.

Nas escolas daqui os alunos são alfabetizados pelo método fônico, facilitando bastante para que um brasileirinho bilíngue comece a decodificar o que está escrito em português. Conheço vários filhos de amigas que naturalmente aprenderam a ler em português. É muito importante ressaltar que a criança precisa ser fluente na língua que será alfabetizada. Não adianta querer alfabetizar em português mas não praticar em casa. Por isso optamos por ensinar e praticar os dois idiomas falados.

Nossa experiência

Em casa falamos só português a não ser que alguém que fale somente inglês esteja participando da conversa. O inglês é praticado na escola. Minhas filhas tem hoje 6 e 4 anos e são fluentes em inglês e português. Claro que elas ainda se confundem com a conjugação de verbos mas vou repetindo a forma correta de falar a medida que os erros vão surgindo, tentando não ser tão chata. Jamais brigo com elas por causa de um erro para que não fiquem inibidas ou criem um bloqueio. Tento manter o interesse no português e na nossa cultura, sempre de forma lúdica pois sei que no momento certo elas também começarão a ler na minha língua mãe. Elas já adoram ouvir as histórias lidas em português. E quando elas estiverem preparadas e começando a ler, vamos praticando a escrita também.

Não existe uma fórmula mágica que funcione para todos, a resposta vai depender do que é melhor para cada família. Se o seu filho demonstra interesse em aprender tudo ao mesmo tempo, deve ser incentivado.

Foto: CC via Pixabay.com


Acompanhe nossos passeios, viagens e novidades no Facebook Baianos no Polo Norte e fotos no Instagram @Livi_Souza.

 

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Renata disse:

    Oi Livi, achei o seu blog justamente por essa questão da alfabetização. Moramos em Barrie tem seis meses só, mas meu filho de cinco anos, já está “esquecendo” algumas palavras em português, ele já vinha de uma escola bilíngue no Brasil, e isso estava me angustiando bastante, fiquei preocupada com a alfabetização. Mas lendo esse post fiquei bem tranquila sabia? Vou deixar as coisas correrem de forma natural, e continuar com o português em casa para que ele não perca a língua mas alfabetiZa-lo primeiro em inglês. Seu blog é maravilhoso! Já estou pegando várias dicas! Parabéns!!!!

  2. Carol Lobo disse:

    Livi, gostaria de saber o que você acha sobre as escolas públicas com imersão em Francês? Você chegou a pensar em colocar as suas filhas? Estamos indo no segundo semestre para Toronto, meu filho tem 5 anos.

    • Livi disse:

      Oi Carol,
      Eu nunca pensei sobre as escolas de imersão para as séries iniciais. Pensei em talvez uma coisa para o grade 4 ou High School.
      As escolas de imersão são feitas para quem não tem o francês como primeira língua e não há muitas em Toronto, perto da minha casa não tem e isso complica um pouco.
      Dá uma olhada nesse link

      • Carol Lobo disse:

        Entendi! Obrigada pela atenção! Essa questão do bairro e colégio tem nos deixado de cabelo em pé! Tenho estudado muito o mapa de toronto, confrontando as estatísticas de colégio, violência, abrigos… Como não conhecemos a cidade tudo fica mais difícil. Porém, gostaria de ter alguns bairros em mente antes de irmos (sempre dando como prioridade o colégio dele na nossa moradia, sabe?). Eu vi alguns colégios como Alenby e Oriole (tem notas excelentes) só que tb não sei como é a questão de encontrar vaga nesses colégios mais conceituados! Sabe se é difícil? Se tem lista de espera? Obrigada! Carol Lobo

  3. raraujo444 disse:

    Ola’… excelente o post.
    Temos uma filha de 3.3 anos. Nos sempre falamos em portugues com ela. Com 1.2 ano ela foi para a daycare e o ingles veio naturalmente, logico. Dai’ minha mae ficou aqui uns 4 meses e ela desenvolveu muito bem o portugues, ja’ q eramos 3 pessoas falando em casa.
    Percebemos um sotaque quando ela fala, mas muito sutil e bonitinho.
    Entao percebemos q ela fala as duas linguas super bem. Porem, queremos q ela seja alfabetizada em Frances, ja’ q moramos em Ottawa. Entao ja’ faz uns 4 meses q ela foi para creche em Frances para podermos ter a transferencia automatica.
    Foi dificil no comeco, mas ela parece ter acostumado. Ja’ comeca a falar algo em Frances, o q e’ muito bom.
    O plano entao e’ este: falar sempre em portugues em casa. Na escola vai ser em Frances. Agora, o Ingles eu nao me preocupo, pois alem dela ja’ falar, vai certamente estar presente na visinhanca, TV, midia, radio, etc.
    E ficariamos muito felizes se ela pelo menos falar o portugues.
    Belissimo blog-site.
    Abracao,
    Rodrigo (Ottawa)

    • Livi disse:

      Que legal Rodrigo,

      As crianças tem muita facilidade para aprender tudo, especialmente quando são estimuladas. Se continuar com o plano de vocês de praticar todas as línguas com certeza ela colherá os frutos de ser trilíngue. Ottawa é o máximo, já que é uma cidade verdadeiramente bilíngue. Valeu por compartilhar a experiência de vocês.
      Abraços!

  4. Danielle disse:

    Livi

    Morei em Montreal por 2 anos e 3 meses. Na época minha enteada foi alfabetizada em francês lá em Montreal. A alfabetização foi apenas em francês. No final do ano escolar no Canadá voltamos para o Brasil e ela entrou na metade do primeiro ano aqui e foi tudo muito tranquilo e natural. Não houve nenhuma dificuldade com a escrita ou leitura em português.

    • Livi disse:

      Oi Danielle,
      Que ótimo! É tão bom saber de experiências como a sua, como mãe sempre ficamos com medo de não estar tomando a decisão correta mas acho que nesse caso alfabetizar em um idioma apenas é o melhor a fazer. Abraços!

Deixe um Comentário

Close