Hopewell Rocks e Moncton, New Brunswick

Nossa próxima parada é Hopewell Rocks que fica dentro do The Rocks Provincial Park. As rochas estão na Baía de Fundy e só é possível vê-las por causa da super diferença entre marés alta e baixa da  região. O litoral rochoso e o formato da baía, que proporcionam cenários incríveis, também são responsáveis por amplificar as marés. Nessa parte de New Brunswick temos as maiores marés do mundo, com até 15m de maré alta em alguns locais.

hopewell-rocks-5

O caminho pelo Fundy National Park

Escolhemos um caminho alternativo passando por dentro do belo Fundy National Park e seguindo pelo Fundy trail na costa ao invés de ir pela estrada principal.

Antes de falar qualquer coisa, vou deixar essa dica: Leve um GPS e um mapa de papel. Nós usamos o GPS do celular e muitas vezes ficamos sem sinal em New Brunswick.  Internet e telefone também não funcionava direito nas estradas. Acabamos tendo que comprar um GPS pelo caminho e mesmo assim o treco as vezes perdia o sinal e nos mandava para o lugar errado ou não achava o lugar que queríamos ir. Frustrante! Tinha que ficar conferindo o caminho no mapa de papel.

No caminho que escolhemos não tinha sinalização dizendo “Hopewell Rocks”, apenas sinalizava os nomes das cidades pequenas próximas e a placa indicando o nosso destino só apareceu quando estávamos bem perto. Se vier de Moncton ou pela estrada principal o caminho é mais fácil e não tem erro. No GPS, as coordenadas para Hopewell Rocks são N 45° 49.706/ W 064° 34.952.

O caminho por dentro do parque é bem bonito, vimos até um veado na beira da estrada. Não é preciso pagar a tarifa para entrar no Fundy National Park, basta dizer na portaria que só irá cruzar a estrada que corta o parque no meio. Já perto de sair do Fundy Natinal Park tem um mirante e de lá do alto temos uma vista incrível! Não deixe de parar.

hopewell-rocks-1 hopewell-rocks-2

O tempo estava bem nublado, para variar, família buscapé quando viaja é sempre assim… Ainda bem que não tinha nevoeiro nem estava chovendo. Deu para aproveitar bastante mas não deu para tirar aquelas fotos lindas com o céu azul que eu tanto queria na Fundy Trail.

hopewell-rocks-18

Outros lugares interessantes que valem uma parada são Alma e Cape Enrage.

Alma via Flickr CC

Cape Enrage via Flickr CC

Hopewell Rocks

Nos programamos para chegar em Hopewell Rocks na maré baixa pois queríamos andar no “fundo do mar”. Na maré alta dá pra passear de caiaque e deve ser bem legal também, só que com as meninas não seria a melhor opção.

A tábua de maré foi a primeira coisa que olhei antes de escolher as datas da viagem. Nesse dia a maré estaria baixa as 12:30. Perfeito! O acesso para caminhas perto das rochas pode ser feito 3 horas antes até 3 horas depois do horário da maré baixa porque a maré pode subir bem rápido, tipo 10 metros em 1 minuto, segundo o site deles.

Como Hopewell Rocks fica dentro do parque provincial é cobrada uma tarifa para entrar ($9 adultos, $7.75 idosos ou estudantes, $6.75 crianças de 5-18 – family pass $24). O ingresso é válido por 24h, caso você queira voltar mais tarde ou no outro dia para ver a diferença.

Logo na entrada tem um restaurante, loja de souvenirs, banheiros e parquinho para as crianças. Para descer até a parte de baixo e ter acesso ao mar temos duas opções: descer andando por uma das trilhas (15-20 minutos) ou ir de carrinho de golfe ($2 por viagem). Dá para descer com o carrinho de bebê pela trilha até o ponto de acesso mas dali em diante tem escadas, então desapegue-se do carrinho. Por causa da preguiça Para evitar stress fomos de carrinho de golfe. 😉

hopewell-rocks-17 hopewell-rocks-14 hopewell-rocks-13

A experiência foi fantástica! As fotos falam por si. O Jaime só ficou um pouco decepcionado com a cor da água que é barrenta, ao contrário de algumas fotos de divulgação. E viva o poder do Photoshop!

 

hopewell-rocks-27hopewell-rocks-10 hopewell-rocks-8 hopewell-rocks-4 hopewell-rocks-9

Depois de visitar as rochas fizemos um picnic com a comida que levamos e outras coisinhas que compramos por lá, tipo sanduíchinho básico de lagosta, super comum nas províncias marítimas.

hopewell-rocks-11 hopewell-rocks-12

Na saída acabamos de cansar as pimpolhas no parquinho.

hopewell-rocks-16

Moncton

Depois dessa farra toda as meninas estavam bem cansadas e seguimos para Moncton, onde íamos passar a noite. Se não fossem elas dava para ter continuado a viagem até Charlottetown que fica mais ou menos 2:30 de distância de Hopewell Rocks.

hopewell-rocks-24

Chegamos lá por volta das 17:00 e o comércio do centro da cidade já estava fechado, exceto os restaurantes. Jantamos no hotel, depois fizemos um reconhecimento de área e voltamos exautos para dormir. Não exploramos o resto da cidade, que por sinal achei bem sem graça. Inglês e francês são igualmente falados pelas ruas. Moncton não é muito turística e é basicamente usada como ponto de partida para atrações da região, como Hopewell Rocks ou costa Acadiana.

hopewell-rocks-22hopewell-rocks-26 hopewell-rocks-23

Hotel em Moncton

Ficamos no Residence Inn by Marriott, bem no centro e com ótimas instalações. Mas há outras opções de hotel em Moncton.

hopewell-rocks-25

Apesar de alguns pontos negativos, no geral foi um bom hotel. O quarto é bem decorado e equipado com cozinha, sala, closet enorme e banheiro bem bonito, igual a todos os Residence Inns.

hopewell-rocks-19 hopewell-rocks-21 hopewell-rocks-20

No check-in o rapaz da recepção foi bem antipático. Nosso quarto era o último num corredor imenso (mais de 30 quartos) e como o carrinho de malas estava sumido tivemos que dar duas viagens para carregar as coisas.

Assim que chegamos no quarto vi que o sofá cama não estava arrumado e nem tinha lençóis ou travesseiros extras, mesmo tendo feito a reserva para 4 pessoas. Tive que ligar para recepção e o bonitão disse que não tinha ninguém para ir arrumar o sofá cama, nem tinha outro quarto disponível e que teríamos que esperar até depois das 21:30h. Expliquei que estava viajando com crianças e que elas precisavam dormir etc, tudo naquele autocontrole para não mandar ele para aquele lugar.

Por fim, apareceu uma mulher bem simpática que era responsável pela cozinha para arrumar o sofá cama. Essa mulher salvou o dia e a experiência. E ainda nos deu a dica que estavam oferecendo um jantar gratuito no hotel com frango grelhado, arroz, salada e pães. O cara da recepção não tinha falado nada.

No outro dia o café da manhã estava bom mas como o espaço do restaurante era super pequeno em relação ao tamanho do hotel não tinha cadeiras sobrando. Fizemos nossa marmita e comemos no quarto mesmo.

Partimos bem cedo para Prince Edward Island, a melhor parte da nossa viagem!

Informações úteis

– Você pode solicitar uma revista de viagem e mapas gratuitamente no site Tourism New Brunswick ou pegar em qualquer centro de informações turísticas da província.
Site oficial do turismo em Moncton
Tábua de marés em New Brunswick
Previsão do tempo


Leia os outros posts dessa viagem

Roadtrip para o leste do Canadá – última parte
Panmure Island e um pouco mais de Charlottetown
Charlottetown, Cavendish e Covehead lighthouse
Visitando a terra de Anne of Green Gables

Um passeio por Saint John (New Brunswick)
Roadtrip para o leste do Canada: St. Martins, New Brunswick
Roadtrip para o leste do Canadá

 

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Adriane Jungues disse:

    Estamos indo para essa região na semana que vem!! Seus posts dessa viagem estão me ajudando bastante para montar nosso roteiro! Valeu!!
    Beijos pra vc Livi!

  2. Oi Livi, adorei o relato e já vou pegar algumas dicas.
    Acabei de ver que reservei esse mesmo hotel em Moncton, espero que agora esteja menos empoeirado (risos).
    Estou empolgada para fazer a Fundy Trail, disseram que é linda, torcendo para pegarmos céu azul no sábado!
    bjo

  3. Uma curiosidade: como você planejou a sua viagem? Usou algum guia de viagem específico? Ou procurou roteiros na Internet e foi montando?
    Beijos,
    Lidia.

    • Oi Lídia,
      Comecei procurando nos sites de turismo de cada província e pedi os guias de viagem gratuitos. Coloquei o link para solicitar no fim de cada post. Daí fui anotando tudo que gostei e tentei dividir no nosso tempo disponível entre as atrações, quebrando a viagem por causa das meninas. Sem criança pequena dá para ver mais com certeza, dependendo do ritmo de cada um.

      Pesquisei também em livros de viagem como Fodors e no fórum do Trip Advisor. Tem uma seção de perguntas e respostas onde o pessoal falava do melhor caminho a tomar e dava dicas mais específicas do que nos livros.

      Na hora de marcar os hotéis uso o booking.com eles tem opção de cancelar a reserva sem penalidade. Essa facilidade nos permitiu mudar o roteiro durante a viagem sem dor de cabeça para ficar mais tempo em PEI. Também olho as avaliações de cada hotel no Trip Advisor antes de marcar.
      Beijos,
      Livi

  4. Áurea Rodrigues disse:

    Adoro os seus posts e com as fotos a ansiedade de lê até o final é imensa.A água barrenta vc pode comparar com a praias daqui da nossa orla durante o inverno mesmo, mas tirando isso a vista é uma espetáculo só.E quanto ao recepcionista, quem é ele na fila do SUS para não te dar as informações necessárias, se eu tivesse aí teria mandado ele pra aquele lugar mesmo, a criatura parece até o povo daqui que não gosta de trabalhar e só passa informações pela metade, cada uma!
    Bom fora isso amei o post, pra variar,poste sempre. Eu adoro!Eu me amarro.
    Bjus nas meninas

  5. ginapsi disse:

    Incrível o efeito da maré na paisagem! A vista do mirante é linda! Curiosa para ver PEI, rsrs.
    Bj

    • É impressionante mesmo, muda tanto que as vezes parece outro lugar. Poder andar no chão cheio de algas e mostrar para as meninas as coisas que ficam submersas é uma experiência sem preço. No começo Elena ficou pedindo para ir embora depois que expliquei sobre a água e mostrei as algas ela se interessou bastante. Aprender com a mão na massa é a melhor coisa né? Daqui a pouco falo sobre PEI. Bjs

Deixe um Comentário