Quebec City: centro antigo à noite e dois passeios bate-volta

Saímos de Ottawa após o almoço, passamos por Montreal e chegamos em Quebec City, ou Ville de Québec, no início da noite.

Percorremos o caminho quase todo debaixo de chuva, o que nos impediu de fazer as paradas estratégicas que tínhamos programado. Usamos o Google Maps como nosso GPS e ele não nos deixou na mão.

O trânsito perto de Montreal como sempre foi um pesadelo, mesmo passando por fora da cidade e antes do rush hour ficamos presos no engarrafamento mais de uma hora e meia (na volta foi ainda pior pela autoroute 20).

Ficamos hospedados em Sainte-Foy, no subúrbio da cidade, na casa de amigos queridos, que nos mimaram demais durante os dias que ficamos lá. Espero que em breve eles possam nos visitar para retribuirmos o favor.

Fomos recebidos com um jantar de comida tradicional, o famoso pâté chinois, que apesar do nome não é comida chinesa. É um prato típico da parte francesa do Canadá, uma variação da Shepherd’s pie. Estava uma delícia, até as meninas que muitas vezes não querem provar nada diferente caíram matando.

A Basílica de Sainte-Anne-de-Beaupré

No dia seguinte o tempo amanheceu chuvoso e optamos pelo passeio a Basílica de Sainte-Anne-de-Beaupré, santa padroeira de Quebec e lugar famoso de peregrinação. Apesar da arquitetura e estilo serem completamente diferentes, me lembrou a igreja do Bonfim em Salvador pela devoção e pelas bengalas, gessos e etc, pendurados num pilar bem na entrada. Cada um deixado por um fiel que diz ter sido curado pela santa. Não sou muito religiosa mas no fim das contas uma prece não faz mal a ninguém né? 😉

A igreja e a cidade, de mesmo nome, são muito simpáticas e demos a maior sorte pois assim que chegamos o sol apareceu e foi suficiente para entrar e sair da igreja sem se molhar. A santa estava do nosso lado! Depois caiu o maior toró.

Na parte de baixo da igreja, outra capela.

Do lado de fora vi três opções para almoçar. Um restaurante bem em frente da igreja (que estava lotado), um St. Hubert (fast food) e um McDonald’s. Os adultos comeram nesse último e as crianças almoçaram comida caseira que levei no thermos (marmita). Nas viagens e passeios que fazemos sempre levo comida e lanche para as meninas, assim sei que elas comerão bem e evito as possíveis birras com a comida que arranjarmos pela rua. Ultimamente Elena está mais disposta a provar novidades mas não é garantido. Sophia, por enquanto, come até pedra.

A igreja não fica longe de Quebec City, meia hora de carro e já chegamos lá.

Cachoeira de Montmorency

Na volta, aproveitando outra trégua da chuva e paramos para conhecer a Chute Montmorency (Cachoeira de Montmorency), que em altura ganha para Niagara Falls. Siga o link para ler mais detalhes em outro post que escrevi sobre o local.

Para entrar no parque e visitar as cataratas é free mas o estacionamento é pago de acordo com o tipo de veículo, carros custam $9,13+taxas. Se quiser subir e descer no bondinho precisa pagar um adicional (mais informações aqui).

Na portaria do parque não entendemos o que a pessoa falou (em francês) e perguntamos se ela falava inglês. A criatura muito sem paciência apenas berrou em francês quarenta e tantos dólares. Quando recebemos o recibo de pagamento juntamente com 3 pulseirinhas, entendemos que ela estava perguntando se queríamos subir no bonde que leva até a parte de cima da cachoeira. Achei meio chato isso, ela vendeu o ingresso para uma coisa que não queríamos. Ela poderia ter cobrado o estacionamento apenas e nós teríamos a opção de comprar, ou não, o ingresso para o bondinho lá dentro. Quando nos encontramos com os amigos dentro do parque, minha amiga conversou com uma das pessoas na lojinha de souvenirs e o dinheiro foi estornado.

Se não fosse a chuva teria ido no bondinho até  topo da montanha para cruzar a ponte sobre a cachoeira. Mas valeu mesmo assim!

No fim da tarde o Jaime deu uma escapulida e foi para um bar com o amigo, quando voltaram foi a vez das meninas saírem de carro para fazer um reconhecimento de área na parte antiga da cidade! Pense num lugar bonito, parece um pedacinho da Europa.

Sem tripé não deu para tirar muitas fotos a noite, essas foram as que consegui.

Assembléia Nacional de Quebec

O hotel Chateau Frontenac é um sonho! Um dia ainda vou me hospedar lá, ah se vou!

Nota mental: Preciso voltar a estudar francês, esqueci tudo que sabia 🙁

Posts Relacionados:

Mais informações:

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

10 Resultados

  1. Divina disse:

    Livi,
    Estou amando os seus relatos. Estou indo para o Canadá em julho/2016. vou visitar Toronto – Montreal – Ottawa e Quebec. Se vc puder me indicar lugares para hospedagem ficarei grata.
    Divina

    • Livi disse:

      Olá Divina,

      Tudo bem? Dá uma olhada nesse post que coloquei meu roteiro e hotéis da última viagem. Em Toronto, fiz uma busca para você no Booking, minha dica é pegar um hotel mais próximo do centro, evite a área ao redor do aeroporto ou cidades adjacentes pois vai ficar longe. Se você for alugar o carro deixe para pegar no dia que for fazer a roadtrip para não ficar pagando estacionamento a toa. No centro de Toronto dá para fazer tudo usando transporte público. Qualquer dúvida me fala tá.
      Abs

  2. isabel disse:

    Olá!
    Belas fotos, hein!
    estamos querendo conhecer a parte leste do Cabadá, mas não temos noçao de quantos dias ficar em cada lugar.O que vcs nos sugerem?
    Pensei em ficar 5 dias em Toronto, 2 em Otawa, 3 em Quebec e 3 em Montreal.
    Abraços
    Isbel

    • Olá Isabel,
      Acho que sua divisão está bem legal, vai depender do tipo de atração que você pretende ver. Só uma coisa para pensar: em Montreal tem mais coisas para ver do que Quebec City, faça uma lista das atrações que deseja visitar em cada uma. Se você estiver viajando sem crianças pequenas dá para fazer a parte antiga de Quebec em um dia e fechar num restaurante. No segundo dia poderia visitar algum museu ou fazer algum passeio fora da cidade (cachoeira, parque Jacques-Cartire ou Ilha D’Orléans). Se preferir fazer tudo mais devagar e aproveitar a cidade 3 dias é ótimo.
      Qualquer dúvida estou a disposição
      Um abraço!

  3. Adorei! Até hoje eu fico pra morrer porque não visitei mais do Canadá na época que morava aí “perto” (em Michigan). Agora é tão mais longe…

  4. Felipe disse:

    Não vejo a hr de chegar em ville 😀

  5. É… Quebec está no meu imaginário desde os nove anos, quando comecei a aprender francês. “la famille Vincent deménage au Canadá”. O livro didático era sobre a familía se mudando de Paris para Quebec, e eu queria muito conhecer. Agora quero mais ainda! Então Sofia é boa de boca? Ela está cada vez mais linda! Elena já está com carinha de menina!

    Obs: mesmo sem tripé as fotos estão ótimas!!!

  6. Ana disse:

    Que lindo! Sou louca pra conhecer o Quebec! Lindas fotos, Livi!

Deixe um Comentário