Sobre a volta as aulas em Ontário e a decisão de mandar os filhos para escola

O ano letivo canadense começa em setembro mas esse ano ele será totalmente diferente por causa da pandemia que estamos vivendo. Aqui em Ontário as escolas fecharam em março, pouco antes do March Break. Durante um período os alunos ficaram sem aulas e depois tiveram alguma forma de interação com os professores até o fim do ano letivo. Essa forma de interação ficou a critério de cada professor, sem uma lei que os obrigasse a dar aulas online em tempo real. Não foi uma situação ideal e a qualidade de ensino a distância deixou a desejar em muitos casos. Compreensível e de uma certa forma aceitável por ter sido uma situação emergencial e sem precedentes. Porém agora em setembro o ano letivo recomeça e houve tempo para avaliar a situação e fazer um planejamento mais detalhado. Infelizmente estamos a 3 semanas do início das aulas, com dúvidas que se acumulam e regras que mudam por segundo.

Para quem não conhece o sistema canadense, aqui cada província tem um ministério da educação. Dentro de cada província as school boards são responsáveis por seguir as regras ditadas pelo ministério da educação e administrar um grupo de escolas numa determinada região. Em Toronto as principais school boards são TDSB (escolas públicas sem afiliação religiosa) e TCDSB (escolas católicas). Explico melhor nesse post aqui.

Com a pandemia, os ministérios de educação definiram as regras gerais para o retorno do ano letivo e agora cabe a cada school board implementar o plano em suas escolas. As minhas filhas frequentam escolas católicas, portanto estou acompanhando mais de perto o plano do TCDSB (Toronto Catholic School Board). Participei de uma reunião feita pela Associação de Pais das Escolas Católicas (OAPCE) com alguns membros do TCDSB, para tirar dúvidas. Aliás, comentei sobre essa reunião no Instagram e muitos não sabiam. Então recomendo ir no site deles e se juntar ao mailing list, e também aos grupos de Facebook e Instagram da OAPCE de sua cidade, assim você receberá todas as notificações e poderá participar das futuras reuniões.

Outra coisa muito importante para quem deseja ficar por dentro de tudo que está sendo decidido, é ficar atento as reuniões da TCDSB, elas são transmitidas online ao vivo e ficam disponíveis no site para qualquer um assistir. Veja aqui. As reuniões são chatas e burocráticas mas há muita informação importante discutida e nós podemos ver exatamente o que cada trustee faz em favor das nossas escolas (presta atenção para não votar num(a) mala sem alça na próxima eleição).

Além disso, faço parte do conselho de pais na escola das minhas filhas, então acabo recebendo muitas informações por email e teremos uma reunião com a diretora antes do início das aulas. Vou continuar compartilhando qualquer novidade com vocês.

Li e estou lendo tudo que acho pela frente, inclusive um documento publicado pelo Hospital Sick Kids, em Toronto com todas as recomendações de profissionais da área de saúde sobre a volta as aulas das crianças. Eu acho que todos os pais deveriam ler esse documento, ele está aqui.

Minha cabeça está saindo fumaça com tanta coisa para processar, meu coração está apertado.

Vou tentar resumir para vocês nesse post o que foi definido até agora, lembrando que daqui até o início das aulas as coisas ainda podem mudar.

Regras gerais para volta as aulas em Ontário

Ontário anunciou seu plano para a volta as aulas, no dia 8 de setembro. De uma forma resumida, as recomendações gerais são:

  • Crianças do Kindergarten até o Grade 8 irão para a escola todos os dias, em horário normal, e só poderão interagir com os colegas da própria sala. Não houve redução no número de alunos por sala.
  • Alunos de High school em áreas de baixo risco retornarão com horário normal, mas na maior parte da província (70%) teremos classes com até 15 estudantes indo em dias alternados, sendo que 50% das aulas serão presenciais.
  • Alunos do Kinder ao Grade 3 não serão obrigados a usar máscaras mas serão encorajados a usar.
  • A partir do Grade 4 todos serão obrigados a usar máscaras na sala de aula e nos corredores, salvo algumas exceções (não especificadas) e também do lado de fora.
  • Professores e funcionários usarão máscaras, exceto quem tem problemas de saúde.
  • Pais têm a opção de não mandarem os filhos para a escola ou manterem no ensino online.
  • Pais precisarão optar se vão mandar para a escola ou não até uma data estabelecida por cada school board.
  • Número de visitantes na escola serão reduzidos, somente pessoas essenciais como pessoal da limpeza, professores e funcionários substitutos. Escola terá direito de proibir a entrada de qualquer visitante, inclusive pais.
  • Escolas terão que adotar medidas de segurança e distanciamento nos corredores e playground para separar os grupos de alunos.
  • Quem exibir qualquer sintoma de covid será colocado numa sala em isolamento até que saia da escola. Recomenda-se fazer o teste de covid. Qualquer caso suspeito ou confirmado será comunicado ao departamento de saúde pública responsável.
  • Quem testar positivo para COVID-19 só poderá retornar a escola depois de 14 dias, se estiver sem sintomas por pelo menos 24h.

O plano completo de Ontário está aqui.

volta as aulas

Regras específicas das escolas católicas de Toronto (TCDSB)

Com as regras acima em mãos, o TCDSB precisa definir a melhor forma de implementar isso em suas escolas. O plano de ação deles está aqui e nessa página há respostas para as dúvidas mais frequentes. Abaixo listo alguns pontos do plano de volta as aulas das escolas católicas de Toronto:

  • Os alunos não começarão todos no mesmo dia, voltarão gradativamente mas até o momento não recebi nenhuma orientação específica.
  • Alunos do Kindergarten ao Grade 3 poderão escolher entre usar máscara ou shield. Professoras e funcionários trabalharão com os pequenos para que eles usem o equipamento de proteção mas não haverá punição para quem não usar.
  • Máscaras serão distribuídas na escola para todos os alunos.
  • O número de estudantes nas salas será o máximo permitido no contrato dos professores. Ou seja, mesmo que parte dos alunos decidam ficar em casa, eles irão combinar as salar para ter mais gente na sala, afinal o professor é pago para ensinar x alunos e o TCDSB não quer perder dinheiro contratando um professor extra, se o governo da província permitiu ter o número normal de estudantes na sala.
  • Bebedouros estarão indisponíveis, alunos terão que trazer água de casa e não poderão encher suas garrafas na escola.
  • O ônibus escolar na primeira semana só estará disponível para alunos com necessidades especiais. O resto dos alunos começarão a usar o ônibus gradativamente a partir da segunda semana.
  • Aulas online serão realizadas usando BrightSpace ou Google Classroom com uma mistura de aulas síncronas e assíncronas. Porém eles não especificaram exatamente quanto tempo de cada.
  • Estudantes de high school terão 4 unidades.
  • Do Kinder ao Grade 8, o instrutor da aula online não será necessariamente um professor, pode ser um bibliotecário, ECE ou outro funcionário. O professor da sala virtual não é o mesmo da escola.
  • Não haverá passeios fora da escola esse ano.
  • Haverão horários pré determinados para cada sala ir ao banheiro e um protocolo de limpeza após o uso do banheiro por cada sala (não sei como isso vai funcionar).
  • O horário de almoço e recreio será dividido para garantir um número menor de crianças no pátio.
  • Missas e eventos em grupo estão suspensos até segunda ordem.

Pontos que estão gerando maior preocupação e questionamento dos pais

A maior queixa dos pais é que o plano da província não leva em consideração a recomendação do hospital infantil de salas com menos alunos. A maioria das salas de Grade 4 em diante possuem 30 alunos, confinados num espaço pequeno, portanto é impossível manter uma distância de 1m entre os estudantes.

Outro ponto importante que está gerando bastante preocupação é o sistema de circulação de ar e ventilação da escola. Além dos equipamentos serem antigos e sem filtros, as janelas das salas de aula só abrem 10cm e isso não é suficiente para ter uma boa circulação de ar fresco para dentro do prédio.

No ônibus escolar, podem sentar até 3 crianças por banco.

O fato de não poder mudar de um modelo de ensino para o outro (online ou presencial) a qualquer momento. Há datas específicas para isso, fim do primeiro trimestre e segundo. Ou seja, escolhemos sem ter todas as informações e ficamos presos naquela escolha até recebermos o report card daquela unidade.

Para quem não sabe:

  • Aula síncrona – ocorre quando o professor interage com um aluno ou grupo de alunos em tempo real, seja online ou por outros meios, em relação ao conteúdo do curso, aulas ou ferramentas de avaliação. Plataformas de aprendizagem como o Brightspace e a sala de aula do Google podem ser usadas para apoiar essa abordagem. Entendam que isso não quer dizer necessariamente que o professor vai dar aula por vídeo conferência. Ele pode apenas colocar um material na sala virtual e estar disponível para responder perguntas em tempo real. Falta definição de expectativas e obrigações dos professores nessa parte.
  • Aula assíncrona – não ocorre em tempo real. Os alunos respondem ao conteúdo do curso, aulas ou avaliações, normalmente acessando a plataforma de aprendizagem onde o professor colocou essas atividades. Embora isso possa parecer um trabalho independente, ideias, respostas e feedback ainda podem ocorrer. O feedback não acontece simultaneamente com o professor.

As escolas irão planejar salas e funcionários a partir do dia 26 de agosto, o que para mim é super em cima da hora e realmente não tenho ideia de como será feito.

A decisão de mandar para escola ou ter aulas online

Os pais dos alunos na rede católica receberam algumas pesquisas de opinião por email e a última delas foi para escolher se os filhos iriam retornar a escola ou frequentariam as aulas virtuais. A partir do momento que escolhermos um modelo, ou o outro ,não podemos ficar trocando, temos datas específicas para poder trocar, em outubro ou janeiro. Foi decidido numa reunião no dia 14/08 que eles reenviarão a pesquisa para revisarmos as mudanças no plano do TCDSB e depois respondermos novamente se queremos mandar, ou não, nossos filhos para a escola. A nossa resposta poderá ser diferente da primeira resposta.

Como vocês podem imaginar isso não é uma decisão fácil, ainda mais quando continuamos cheios de dúvidas e incertezas com relação ao plano de retorno. Além do mais cada hora aparece uma notícia diferente de como o COVID-19 afeta as crianças. Difícil filtrar e digerir tudo.

O TCDSB vai decidir o rumo dos seus planos de acordo com o número de pessoas que optarem por cada modelo de ensino. Ou seja, professores serão contratados ou redirecionados de última hora para preencher vagas online, os professores ainda não têm a lista de estudantes em suas salas e os procedimentos diários também não estão todos definidos.

Mesmo com todas essas preocupações e o coração apertado, eu e o marido optamos por mandar as nossas filhas para a escola. Elas têm 11 e 9 anos, ou seja, estão indo para os Grades 6 e 4. A opinião delas pesou muito na nossa decisão. Elas sentem a necessidade de ir a escola, de socializar, de ter parte do seu normal de volta. Mas confesso que irei continuar acompanhando de perto e dependendo do que acontecer vou pedir para mudar antes do início das aulas. Se minhas filhas estivessem começando agora no Kindergarten, não mandaria para escola. Numa pesquisa  de opinião 25% dos pais disseram que iriam optar por estudos online por enquanto. A decisão não é fácil e nem há certo ou errado.

E você, vai mandar o(s) seu filho(s) de volta para a escola ou eles terão aulas online?

*Todas as informações desse post estão atualizadas com as informações até 20 de agosto, como disse antes, até o primeiro dia de aula muita coisa ainda pode mudar.


Projeto Mães no Canadá

Passa lá nos outros blogs/canais para conferir o que está acontecendo em outras cidades e províncias:

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Jules disse:

    Oi, Livi. Nenhuma das opções é fácil, né? Aqui (TDSB) as crianças escolheram aprender online e, apesar de tranquila com a decisão, meu coração também está apertado por conta de todas as coisas que só acontecem no coletivo.

  2. Kleber disse:

    Aconselharia assistirem também a esta conversa esclarecedora patrocinada pelo The Globe and Mail que pode ajudar na decisão individual dos pais.

    Ela foi ao ar na semana passada.

    https://www.facebook.com/theglobeandmail/videos/700935210489801/

  3. Dani disse:

    Que post super completo Livi!! Percebi que vc tem mais informações no seu board do que eu aqui. Hj teremos mais una reunião do board, não sei se teremos mudanças. A decisão não é fácil mas estamos esperando pelo melhor.

    • Livi disse:

      Dani, entra nesse site do OAPCE e daí vai para a associação de pais do seu board. Eles colocam várias informações! Tem um monte de coisa que sai lá primeiro e depois é que atualizam no TCDSB.

Deixe um Comentário