O que eu acho do sistema educacional canadense

Eu sempre recebo perguntas pedindo minha opinião sobre o sistema educacional e a qualidade de ensino no Canadá. Então no post de hoje vou falar sobre isso.alfabetizaçao-bilingue-1

Ouço muitas pessoas criticando as escolas canadenses e dizendo que no Brasil as escolas são muito melhores.

Mas todo mundo compara o ensino particular do Brasil com o ensino público do Canadá, o que eu não acho justo. Bora comparar público com público e particular com particular e ver quem sai na frente?

Mesmo existindo escolas particulares a grande maioria das pessoas mandam os filhos para a escola pública porque o ensino é de qualidade. O sistema educacional dá as mesmas oportunidades para todos até o segundo grau. O que eu acho ótimo. Isso não acontence no Brasil, quem não pode pagar não vai para uma escola boa.

Os alunos da rede pública aqui recebem gratuitamente os mesmos materiais, tem acesso a esportes e atividades extra-curriculares, programas de apoio, computadores e ótimas bibliotecas dentro da escola. O conteúdo dado em sala de aula é padronizado em toda rede.

A qualidade das escolas e o aproveitamento dos alunos não é igual, claro, como já falei nesse post sobre como escolher escolas.

Mas uma coisa que faz muita diferença é o suporte que os pais dão em casa. A escola do meu bairro não é nem de longe uma das melhores de Toronto, segundo o Fraser Institute, mas o suporte que eu dou as minhas filhas faz com que elas tenham um ótimo aproveitamento e tirem notas ótimas.

biblioteca-1

O que podia ser diferente

Uma coisa que me incomoda é que as crianças não trazem quase nenhum dever de casa e isso deixa os pais meio perdidos em relação ao conteúdo que está sendo dado na escola, ficando difícil ajudar.

A minha filha da primeira série não trazia nada e na agenda vinha escrito apenas “ler um livro”. A partir do grade 2 as crianças começam a trazer mais exercícios para casa, especialmente nos fins de semana. Só que isso vai depender muito do professor.

Mas para resolver esse problema, comprei livros de exercícios na Indigo, para que as meninas estudem no fim do dia. Os livros são apropriados para cada série. Depois que comecei a fazer isso notei uma grande melhora no aprendizado delas. E por falar em livros acho os daqui fracos e muitas vezes confusos.

Trabalho bastante a matemática pois acho que aqui eles colocam mais ênfase na leitura e deixam os cálculos meio de lado. Também não gosto do método usado para o ensino da matemática. O papo que rola entre as professoras (e que é comprovado nos testes do EQAO feitos pela província de Ontário) é que as crianças estão ficando para trás em matématica.

Eu também não gosto da forma de avaliação usada nas séries iniciais pois não quantifica o que minhas filhas aprenderam.

Minha filha terminou o grade 1 e não fez nenhum teste específico para testar seu conhecimento. A “nota” é muito subjetiva, baseada nos exercícios em sala de aula e nas observações da professora. O que nem sempre é justo. Acho que a combinação de testes e observações seria ideal.

O sistema de notas também não é como no Brasil. Leia mais no post sobre os boletins.image

O que dizem as pesquisas

Cada um pode contar sua experiência e fica difícil saber realmente se a qualidade do ensino é boa ou ruim. Então dei uma procurada e achei algumas pesquisas que ajudam a esclarecer essa dúvida.

Numa pesquisa publicada pelo US News, o Canadá é o terceiro melhor país do mundo em termos de sistema educacional, enquanto que o Brasil está no 34º.

Em outra pesquisa, feita pelo PISA, onde eles avaliam o conhecimento de ciências, leitura e matemática de jovens de vários países, o Canadá também ficou na frente do Brasil. Ficou com 10° lugar em matemática,  7° em ciências e 3° em leitura. O Brasil ficou em 67°, 65° e 61°, respectivamente.

Os jovens são escolhidos por amostragem, incluindo estudantes de escolas públicas e particulares.

Segundo o Conference Board of Canada as 3 melhores províncias em termos de educação são British Columbia, Ontario e Alberta. A pior de todas é PEI.

Ah e tem outra pesquisa bem interessante que diz que os filhos de imigrantes estão se saindo melhor do que os canadenses na escola. 😉

Na prática

O ensino canadense não é perfeito, tem várias coisas que podiam ser mudadas mas no geral eu acho que é bom. E as pesquisas confirmam isso. Mas como disse acima, é fundamental o envolvimento dos pais para que as crianças se desenvolvam bem.

O conteúdo programático é diferente do brasileiro e tem coisas que no Brasil são ensinadas primeiro. No fim do segundo grau todos os alunos foram ensinados os mesmos assuntos.

Conheço filhos de brasileiros que foram para o Brasil, depois voltaram e se adaptaram bem nas escolas nas duas situações.

Bem, é isso. Espero ter ajudado os que estão se mudando para cá ou tem filhos que vão começar a escola em breve. Se alguém tiver algo a acrescentar deixe um comentário lá embaixo.

Leia mais sobre a minha experiêcia nas escolas e educação no Canadá.

Fotos sem a logo do blog são de domínio público.

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

6 Resultados

  1. Joelma Cristina Costa Oliveira disse:

    Oi Livi! Acompanho seu blog faz 1 ano, mais ou menos, também seu instagram, mas intensifiquei agora que iremos mesmo para o Canada, moraremos em Waterloo,ON (farei college, meu esposo vai trabalhar) e temos um filho de 7 anos que estuda aqui no Br no 2o.ano. Minha maior preocupação é com ele, afinal nós mães somos assim, né? 🙂
    Acho que já li todos os seus posts sobre educação no Canadá, o que me ajudou e orientou muito. Mas ainda tenho umas dúvidas.
    Aqui ele estuda em uma escola particular que ele adora, está alfabetizado e adora ler (ele lê bem, escreve pequenos textos e histórias). Ele faz inglês apenas na escola. Fico MUITO preocupada como será o letramento dele em inglês, pois ele iniciará o ano letivo em set-2018 e creio que iniciará no Grade 2. Diferente de quem é alfabetizado em inglês, ele chegará sem saber ler e falar… Será que ele conseguirá acompanhar as aulas?
    Fico imaginando como será a comunicação na sala de aula e como funciona, realmente, o ESL (é uma aula extra? Tem um tutor em sala que fala português e auxilia? Acho que não né? ).
    Nestes últimos 3 meses de Brasil, adianta eu coloca-lo em aulas particulares ou Kumon para ele ir mais preparado?
    Talvez vc não saiba por ter tido uma experiência diferente (suas meninas já nasceram aí), mas conheça famílias que passaram por algo parecido.
    Enfim, desculpe tantas perguntas e agradeço DEMAIS por seus relatos no blog. Talvez você não saiba como vc realmente ajuda! Deve dar um trabalhão danado escrever, organizar, compartilhar (e as vezes recebe até críticas) e tudo isso de graça. É a primeira vez que escrevo aqui e quero deixar isso registrado!
    Um beijo!

    • Livi disse:

      Oi Joelma,

      Muito obrigado pelo seu comentário e por me dizer o quanto os meus posts estão sendo úteis no seu planejamento.

      Você está certa, como minhas filhas nasceram aqui a experiência foi diferente mas vou compartilhar o que já vi na escola.

      O aluno vai para a sala de acordo com a idade dele. Se ele vai fazer 8 agora em 2018 entrará no Grade 3, se completou 7 em 2018 vai para o Grade 2. Ele vai para a sala de aula normal e a professora vai dar a aula normal, porém ele será avaliado levando em conta que ainda não fala inglês. Os primeiros meses são difíceis sim mas te garante que ele vai aprender a falar muito mais rápido do que você pensa, coisa de 2-3 meses ele vai estar se comunicando bem. As professoras aqui estão acostumadas a receberem crianças que não falam inglês e tentam ajudar na sala.

      As aulas de ESL, quando a escola oferece (não são todas que tem), é uma espécie de reforço, com um professor especializada. Ele geralmente sai da sala no horário da aula de francês ou outro horário pré-determinado e passa 1h ou menos nessa sala de ESL, juntamente com outros alunos que também estão aprendendo.

      Se você puder coloca-lo em aulas de inglês acho que ajudará bastante. Procure uns livros ou textos fáceis de inglês para ele começar a treinar também. E se você chegar aqui antes do início das aulas vá no centro comunitário ou coloque ele em algum esporte para já ir se ambientando.

      Beijos

  2. Viviane disse:

    Eu pretendo ir para o Canadá esse ano e minha filha estará com 4 anos, tenho receio de como será sua adaptação na escola por causa do inglês. Você tem alguma experiência relacionada a isso e em como conseguir vaga nas escolas para ela.

  3. Nai disse:

    Livi, obrigada por mais um conteúdo de qualidade! Amei demais esse texto! Vou enviar para minha mãe, pois ela é psicopedagoga e sei que irá gostar muito!

    Beijos!

Deixe um Comentário