Será que estudaram medicina?

pillsNão dá, simplesmente não dá para não reclamar desses médicos daqui.

Acabei de chegar da segunda visita ao médico hoje. Não que eu esteja com alguma doença grave para ter que ir duas vezes no médico no mesmo dia. Tive que voltar para reclamar dos serviços prestados e do remédio errado que o infeliz prescreveu. Eu precisava de um antibiótico básico, coisa simples e me receitaram remédio para incontinência urinária (rsrsrsrs). Só rindo para não chorar…

Aqui você não compra remédio sem receita médica, como no Brasil, e geralmente eles não gostam de ficar receitando remédios por qualquer coisinha.

Como já duvido da competência dos médicos canadenses (é paranóia mesmo), fico desconfiada de tudo que eles fazem e pesquiso qualquer remédio que eles receitam. Quando digo pesquiso, quero dizer pesquiso a bula, pois nem todos aqui vem com bula. Se o remédio for muito forte ou tiver muitos efeitos colaterais o farmacêutico te entrega uma folha impressa no computador com algumas informações e os possíveis efeitos. Os remédios são entregues numa embalagem com o número contado de pílulas ou líquido que você precisará tomar, a indicação da posologia e o médico que receitou. Eles calculam a dosagem vezes o número de dias que vai tomar e te entregam exatamente o necessário. Tudo muito controlado, o que eu acho legal.

Cheguei em casa e fui logo na internet pesquisar sobre o meu antibiótico e para minha surpresa descobri que o remédio não era antibiótico e nem tinha nada a ver com meu problema. Podem imaginar como fiquei p… da vida. Voltei na farmácia para confirmar se era o remédio certo e se era realmente um remédio para incontinência. Tudo confirmado eu voltei no médico e ele sem querer admitir o erro me orientou que tomasse metade da dose por uma semana e ainda teria o benefício de fazer menos pipi (oi?). Já quase perdendo a paciência expliquei novamente o meu problema e que não precisava daquele remédio, por mais interessante que fosse não precisar fazer pipi, eu não me importo de fazer pipi e já passei da fase de fazer na cama a muuuito tempo. Por fim, sem assumir o erro, ele mandou devolver o remédio na farmácia mas não quis me dar o antibiótico 🙁

Minha médica de família retornará das férias na sexta e já marquei uma consulta com ela. Com sorte ela consegue diagnosticar o verdadeiro problema e me passa o antibiótico.

Que dureza!

Ps.: Só para explicar que aqui geralmente você tem um médico que te acompanha sempre, o chamado médico de família. Existem clínicas, chamadas “walk-in”, que você é atendido sem marcar consulta por um médico de plantão. Essas clínicas são para quem não tem médico de família ou para casos não graves. Para casos graves, você vai direto para a emergência de algum hospital.

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. celmartin disse:

    Agora, não largo mais! To adorando!

  2. celmartin disse:

    Oi Livi! Acho que eu tô ficando lerda! Só hoje percebi que antes do seu e-mail tinha um endereço de site!!! Como assim?? Bom antes tarde do que nunca! Já vai para o blogroll e já estou começando a ler…Muito bom! Ah! o saquinho “mexups” está te esperando!
    bjs

  3. Áurea Rodrigues disse:

    Eu acho que os médicos queriam na verdade te drogar.Os médicos daí são todos loucos, cuidado.rsrs

Deixe um Comentário