O que esperar do Grade 2 numa escola de Toronto

A medida que as minhas filhas vão avançando na escola vou escrevendo sobre a nossa experiência em cada série. Já escrevi sobre o Kindergarten aqui, o Grade 1 aqui e agora chegou a vez do Grade 2.

Minhas filhas estudam numa escola pública católica, em Toronto. Então esse post reflete minha experiência pessoal nesse tipo de escola, as dificuldades que encontrei como mãe e algumas dicas gerais para essa série. Se alguém viveu uma situação diferente fique a vontade para compartilhar nos comentários.Grade 2

A principal diferença em relação ao Grade 1. Achei o segundo ano bem diferente do primeiro. No Grade 1, mesmo ensinando todas as matérias, há uma grande ênfase na leitura. Para eles o mais importante é que a criança aprenda a ler. Apesar de não precionarem os alunos em nenhum momento, as professoras fazem uma avaliação contínua e sempre alertam os pais se os filhos não estão lendo no nível que deveriam estar. Eu contei sobre isso aqui.

No Grade 2 não tivemos esse tipo de cobrança, em compensação, deram uma puxada em todos os outros assuntos, especialmente na matemática. A professora testou o nível de leitura da minha filha no começo do ano e disse que não precisava me preocupar, imagino que se ela precisasse de algum reforço, ela teria informado. Uma amiguinha dela precisou tomar aulas de reforço dentro da escola, num programa chamado Empower. Então se esse for o caso do seu filho, se informe na escola se ele pode participar. Nas escolas católicas o Empower está disponível para alunos do Grade 2 ao 8. Não sei qual o programa equivalente numa escola pública comum mas sei que eles tem até mais recursos do que a católica.

Formas de avaliação no Grade 2

Até antes dessa série a forma de avaliação era mais subjetiva, baseada na observação do professor em classe, participação do aluno, conclusão de tarefas, etc. Agora ficou uma mistura de subjetiva e quantitativa, portanto mais justa em minha opinião. Acho válida a observação porque não coloca pressão na criança, mas por outro lado quem é tímido e não participa as vezes “perde ponto”. Falo por experiência própria porque a minha filha mais velha é tímida e as professoras sempre escrevem “precisa participar mais” nos boletins dela.

Nesse ponto a professora que ela teve no Grade 2 foi maravilhosa! Ela trabalhou com a timidez da minha filha de uma forma que nenhuma outra tinha feito antes. Ao invés de esperar uma participação voluntária, ela incentivava. Sempre pedia ajuda da minha filha, dava funções de responsabilidade em sala de aula, pedia opiniões, etc. Pense numa criança que na metade do ano já era outra pessoa. Sou muito grata a ela por isso!

No Grade 1 os alunos não precisavam estudar para testes, exceto pelo ditado feito semanalmente. A partir do Grade 2 eles continuam com esses ditados semanais mas também fazem testes escritos toda vez que concluem um módulo de matemática ou ciências. Os módulos vem para casa com um aviso informando a data do teste. Achei bem puxado mesmo, pois tem momentos que fazem vários testes seguidos. Curiosamente eles não fazem testes de gramática (ela já está no Grade 3 e até hoje não fez).

Material de estudo fornecido na escola e como os pais podem ajudar

No Grade 2 os alunos ainda usam apenas as apostilas de exercícios feita pela professora. Não há livros didáticos com explicações. O único livro que a minha filha trouxe para casa era sobre tradições. Livro bem fraco, com muita foto e pouco texto, que era complementado por apostilas. A partir da terceira série isso muda.

Não há nenhum outro material de estudo além dessas apostilas, que contém apenas exercícios. Quando recebi os primeiros módulos concluídos, percebi que a professora marcava os erros da minha filha e as vezes escrevia para refazer sem colocar qual era a resposta certa. Ou seja, se a criança fez errado é porque não entendeu. E claro, não refazia nada. Então como eles esperam que o aluno estude usando o módulo como guia? Resultado, tive que explicar todas as dúvidas acumuladas na véspera do teste.

Eu acho que apesar dos professores estarem abertos para conversar sempre que precisamos há uma certa falta de comunicação sobre o que está sendo ensinado no dia a dia em sala de aula. Os pais recebem um calendário geral no início de cada mês mas não dá para saber exatamente o que está sendo dado e como está o progresso dos filhos. No Brasil a criançada traz deveres de casa diariamente e fica mais fácil para os pais acompanharem. Aqui quase nunca tem dever de casa. Geralmente o aluno só traz se não conseguir terminar na escola.

A partir daí pedi permissão da professora para que minha filha trouxesse ara casa todos os módulos trabalhados no dia. Assim eu podia acompanhar e checar se precisava tirar dúvidas da filhota. Funcionou bem melhor e continuo fazendo no Grade 3.

Material extra que você pode adquirir

Se você busca um material extra para estudar em casa há vários livros de exercícios alinhados com o currículo canadense. Esses livros são vendidos na Amazon ou Indigo e alguns estão disponíveis na biblioteca de Toronto. Minhas sugestões são:

Primeira Comunhão (somente em escolas católicas)

Para quem tem filhos em escolas católicas, como eu, é no Grade 2 que acontece a primeira comunhão. Na pública não tem isso, claro. Se o seu filho estuda numa escola pública e você deseja que ele faça primeira comunhão, é só ir na sua igreja e matricular no curso preparatório. O curso é o mesmo, apenas não está vinculado com a escola.

Os alunos da escola católica não são obrigados a fazer a Primeira Comunhão no Grade 2, ou em série nenhuma, mas a maioria escolhe fazer junto com os colegas de classe, ao invés de deixar para depois.

As aulas de catequese aconteceram nos fins de semana de outubro a abril (com uma pausa em dezembro), na paróquia do bairro ou na escola. Cada igreja tem um processo diferente e a daqui exigiu que os pais participassem de vários seminários durante o ano.

A comunhão acontece nos meses de abril ou maio. A cerimônia foi bem bonita!

Algumas pessoas já me perguntaram onde comprei a roupa da minha filha e se é preciso gastar uma fortuna. Bem acho que isso vai depender de cada um. Vi meninas que pareciam princesas e outras com vestidos mais simples. Todas estavam lindas e ninguém estava reparando na roupa de ninguém.

Quando saí com minha filha, mostrei a ela apenas vestidos que estavam dentro da faixa de preço que eu podia pagar. Ela experimentou alguns e escolheu o que gostou. Uma dica importante para quem tem meninas, compre o vestido com bastante antecedência. Assim você encontrará mais modelos para escolher e terá tempo de ajustar caso precise. Compramos o dela em janeiro e esse foi o nosso gasto:

  • Vestido ($120): Trendy Bambini
  • Sapato ($20): Payless Shoes
  • Tiara ($15): Diana’s Dresses na Orfus Rd.
  • Cinto ($10): Loja no shopping Lawrence Square (vou ficar devendo o nome mas ela fica perto da Marshall’s e vende roupas de festa para crianças). Comprei um cinto simples mas prendi numa fita de cetim e ficou lindão.
  • Cabelo e fotos (free): eu mesma 😀

Os acessórios deixei para comprar mais perto da data mesmo e não tive problemas. Os meninos usam terno e imagino que não seja tão complicado quanto as meninas.

Após a cerimônia é comum fazer um almoço ou jantar de comemoração com a família. Alguns fazem mega festas em restaurantes ou banquet halls, outros em casa mesmo, como foi o nosso caso.

Bem esse foi a nossa experiência com o Grade 2 da nossa filha mais velha, a menor irá cursar no ano que vem e se houver diferenças atualizarei esse post depois.


Esse post contém links de afiliados, saiba mais sobre o que isso significa aqui.

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

Deixe um Comentário