Expectativa x realidade sobre maternidade no Canadá

Hoje é dia de post do Projeto mães no Canadá. E esse mês o tema escolhido é: expectativas e realidades sobre maternidade no Canadá. Confesso que tive que refletir bastante para poder escrever sobre isso!

Escolhi os temas mais marcantes para mim e que sempre geram questionamentos.

Se vocês quiserem compartilhar suas expectativas, deixem um comentário aqui no post, no Facebook ou Instagram.

Expectativa: o Pré Natal no Canadá é igual ao do Brasil

Realidade: o atendimento no Canadá é um pouco diferente mas nem por isso ruim

Eu estava visitando a família no Brasil quando descobri que estava grávida da Elena (primeira filha). Imediatamente fui numa obstetra. O atendimento foi carinhoso, demorado e ela conversou comigo sobre várias coisas. E me encaminhou para uma ultrassom imediatamente.

Quando voltei para o Canadá era essa expectativa de atendimento que eu tinha, e levei um choque!

Primeiro porque o pré Natal de verdade, com um obstetra só começa lá para umas 12 semanas de gravidez (se não me falha a memória).

Segundo, porque eles fazem apenas algumas ultrassons durante a gravidez, não todo mês.

E terceiro, quando eu finalmente fui ver a tal obstetra, a consulta demorou 2 minutos e ela não me explicou nada.

Fiquei inconformada com aquilo e decidi procurar uma midwife (parteira). O atendimento foi super diferente da obstetra e na consulta sempre me explicavam tudo. Uma consulta bem mais pessoal do que na primeira obstetra.

Infelizmente, nas duas últimas semanas eu tive complicações e precisei fazer um parto cesária. A cirurgia foi marcada e eu não vi a obstetra até o dia do parto. E logo após a cirurgia, tive eclâmpsia.

As midwives continuaram o acompanhamento nas 6 semanas após o parto, inclusive com visitas em minha casa. Elas me ajudaram com amamentação e outras dúvidas iniciais.

Na segunda gravidez, fui acompanhada por um obstetra especialista em gravidez de risco. Fiquei super tensa achando que seria igual a primeira obstetra. Mas o atendimento foi muito atencioso, muito mais até do que as midwives. Eu ficava lá quase uma hora, conversando com a enfermeira e com o médico. Ele examinava até o meu último fio de cabelo!

Então mesmo sendo diferente, é possível sim ter um atendimento atencioso como eu esperava. Basta achar o profissional certo.

Expectativa: Não vou dar conta de duas crianças sem a família por perto

Realidade: Dou conta de tudo

A minha mãe estava aqui quando minhas filhas nasceram.

Com a Elena, ela só pode ficar aqui 1 mês. E quando ela foi embora fiquei desesperada achando que não ia dar conta de cuidar de uma bebê e da casa. Mas na segunda vez, não fiquei tão desesperada quando ela partiu. Foi ótimo tê-la aqui mas eu estava mais preparada para a rotina depois.

A verdade é aue nós somos capazes de muito mais do que imaginamos. A gente se adapta a nova rotina, aprende a ser mãe, a dividir melhor o tempo e aproveitar bem cada segunda as 24h que temos por dia!

Não estou dizendo que é fácil mas que a gente arranja forças e dá conta de tudo, ah isso dá!

Expectativa: as crianças iam
morrer de frio e tédio no inverno

Realidade: as crianças amam o frio e se divertem.

O intenso inverno canadense é novidade para nós brasileiros mas para quem nasceu aqui, é uma coisa de rotina.

A cidade é preparada para tal e a vida segue normal. Basta usar as roupas e acessórios apropriadas para não sofrer (veja esse post aqui).

As crianças nem ligam para o frio, elas querem é brincar. As minhas até no parque pedem para ir. Veja esse post sobre o que faço com minhas filhas no inverno.

Mãe no Canadá

Expectativa: viajar com crianças seria impossível

Realidade: viajamos para todos os lugares  com as meninas

Eu e o marido sempre gostamos muito de passear, viajar, fazer hiking em parques, sair à noite, etc. E quando decidimos ter filhos, bateu aquele medo de que teríamos de parar de fazer essas coisas e que nossos passeios ou viagens se resumiriam apenas a parques de diversões. Afinal, com a família longe, não há ninguém que possa dar uma ajudinha e cuidas das nossas filhas num fim de semana.

Hoje percebemos que foi um medo totalmente sem fundamento. Continuamos a fazer o tipo de passeio que gostamos, a única diferença é que tivemos que aprender a ser mais flexíveis e criativos na hora de planejar o roteiro.

As nossas filhas foram acostumadas desde cedo a nos acompanhar para todos os lugares que íamos. Elas curtem todo tipo de passeio, seja acampamento, caminhada no mato, museu, parques de diversões, road trips, e o que vier pela frente.

Projeto Mães no Canadá

Esse post faz parte do Projeto Mães no Canadá, onde eu e outras blogueiras/Youtubers brasileiras, contamos nossas opiniões e experiências sobre um mesmo tema.

Passa lá nos outros blogs/canais para conferir os relatos das outras mães:

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

Deixe um Comentário