Avaliação das escolas em Ontário: como escolher a escola dos seus filhos

No Canadá o ano letivo começa em setembro e a matrícula se inicia em janeiro. A idade que as crianças ingressam na escola muda dependendo da província. Em Ontário, elas entram no ano que completam 4 anos, mas tem gente que prefere esperar até 5. Eu sempre li que o sistema educacional canadense é um dos melhores do mundo e só comecei mesmo a pesquisar a respeito pouco antes da minha filha mais velha começar o kindergarten.

Quando foi chegando perto da data da matrícula comecei a querer saber mais sobre a qualidade da escola do meu bairro e se teria outras opções. Aqui geralmente as crianças estudam na escola do bairro e pra matricular em outra precisa ver se eles aceitam.

DSC_5262

Tipos de escolas

Gosto sempre de enfatizar que estou falando sobre Ontário porque é diferente em outras províncias.

Há basicamente duas categorias, escolas particulares e públicas. Dentro dessas categorias há vários tipos de escolas. Isso vale para ensino fundamental e médio.

As particulares custam caro e pouca gente pode pagar. Na região de Toronto a mensalidade delas custa em média $1000 por criança. No meu caso, pagar para duas filhas seria impossível no momento. Quem sabe no futuro… No interior e em outras províncias é possível encontrar opções mais baratas.

Dentre essas particulares é possível escolher só para meninas, só para meninos, misturadas, religiosas (católicas, judaicas, etc), Montessori, Waldorf, etc. Cada uma delas renderia um post separado.

Mas a maioria das pessoas mandam os filhos para as escolas públicas.

Como o Canadá é um país bilíngue, na categoria pública existem escolas de língua francesa e de língua inglesa, afiliadas a igreja católica ou não. Escolas sem afiliação religiosa são chamadas apenas de públicas. As pessoas normalmente falam escolas públicas ou católicas para diferenciar.

Nas de língua francesa (French Schools) todas as aulas, correspondências e reuniões são em francês, o inglês é apenas uma matéria no currículo.  Essa é uma opção popular entre famílias de origem francesa. Não confunda com French-Immersion que é na verdade programas de imersão dentro das escolas de língua inglesa, onde algumas matérias são ensinadas em francês.

Como escolher a escola

Cada escola tem sua zona ou área de atuação. Todas as crianças que residem na zona de uma escola tem vaga garantida lá, a menos que a capacidade máxima de alunos esteja esgotada. Nesse caso eles são responsáveis por arrumar vaga em algum lugar perto pra a criança estudar. Isso vale para o ensino fundamental e não para High School.

Para matricular fora da sua área é preciso descobrir quais escolas aceitam, fazer uma solicitação por escrito e depois entrar na lista de espera. Se o seu filho está numa creche ou a pessoa que toma conta dele reside em outra zona, você terá mais chances de ser aceito na escola de lá. Mas também estará sujeito a disponibilidade de vagas.

Curiosidade: Em Ontário, parte do IPTU (Property Taxes) da casa que moramos é direcionada para o tipo de escola que os nossos filhos estudam. Na hora da matrícula recebemos um formulário e indicamos a preferência.

Para encontrar as escolas públicas e católicas que servem a sua área vá no site do TDSB ou TCDSB, digite o seu endereço e pronto, as opções vão aparecer.

Como saber se a escola é boa ou ruim

Para o meu endereço tenho as seguintes opções: uma escola pública e duas católicas. Mas como saber qual dessas escolas é a melhor?

Pesquisei e descobri que existem dois órgãos que avaliam o desempenho dos alunos nas escolas. O primeiro é uma empresa chamada Fraser Institute, que avalia os alunos nas províncias de Ontário, Quebec, Alberta e British Columbia. É um teste tipo o Enem, feito por uma empresa de pesquisa. Vale ressaltar que em 2015 os professores decretaram work to rule e esse teste não foi feito nas escolas católicas de Toronto.

A segunda é o EQAO, o órgão do governo responsável por medir a qualidade das escolas. A sigla significa Education Quality and Accountability Office. Eles realizam um teste similar ao Fraser Institute. Mas os testes não são feitos em todas as séries e só incluem leitura, gramática e matemática. A forma como eles apresentam o resultado é meio confusa então prefiro olhar o Fraser.

Fiquei decepcionada com os resultados das três escolas primárias da minha zona. De 1 a 10 os alunos das escolas daqui tiraram em média 4,5 (católica), 5,5 (pública) e 7,4 (a outra católica). Claro que a nota do Fraser Institute não pode ser exclusivamente usada para avaliar uma escola, é apenas uma indicação de como as coisas estão indo. Porque a verdade é que quem está de fora não tem como saber realmente como é a escola. E o desempenho dos alunos pode mudar bastante de um ano para o outro se mudar a direção da escola. Update: Nós escolhemos a de 7,4 e estamos muito satisfeitos com a qualidade do ensino.

Na época que compramos essa casa não tínhamos filhos, a última coisa em nossa mente era a qualidade da escola. Queria uma casa legal, boa localização, local seguro e conveniente, etc. Fica a dica: antes de escolher um lugar para morar, veja se a escola mais próxima é boa.

O processo de matrícula

O processo de matrícula é bem tranquilo, nada de filas quilométricas. Basta ir na escola pegar um formulário, marcar um horário para devolvê-lo preenchido e finalizar a matrícula. Também pode ser feita online na rede católica, através do link acima. É importante lembrar que há alguns pré-requisitos para poder matricular uma criança numa escola fundamental.

Antes do ano letivo começar temos uma reunião de boas vindas para pais e alunos poderem conhecer o diretor, as professoras e saber mais sobre como funciona a escola.

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

19 Resultados

  1. Thamilys Isis disse:

    Livi gostaria de saber se tem tradutores nas reuniões dos pais? Pois eu não falo o inglês, vou fazer o curso mas creio que o começo vai ser bem difícil para eu entender e poder acompanhar meu filho. Aí tô tão preocupada quanto a isso.

    • Livi disse:

      Oi Thamilys,

      Normalmente não tem mas você pode perguntar se tem alguém na escola que possa te ajudar. As vezes um funcionário ou um dos pais pode fazer isso. Já ajudei a secretária a dar informações para uma família brasileira uma vez.

  2. Kleber disse:

    My two cents.

    My two kids are born here and both studied at Ontario schools.

    Most Brazilians arrive here with the Brazilian educational system in mind: private schools for those who can pay and public for the rest. As we all know, qualitt education only exists in the private sector in Brazil.

    It takes them time to change their mindeset.

    Here 99% of the population uses the “public” system and you may even see children of politicians studying in the same school as your own.

    The few private schools that exist here are mostly for children of parents in the diplomatic field or CEOs of big companies.

    That is why the “public” system works here: it’s for everyone !

    Of course some schools perform better than others in certain subjecs so people tend to buy their homes close to the school that meets their expectations.

    My kids were entolled in a program they call here “Extended French”: 1/2 day in French and 1/2 day in English. I found it a balanced program in that exact sciences are taught in English and social sciences in French. Good for Ontario.

    The advantage is that classes are smaller and your kid gets more individual attention.

  3. mamaedetri disse:

    Livi, vi que vc falou sobre o “IPTU” daí… Vc tem algum post sobre as taxas e gastos mensais de uma família em Toronto ? Já ouvi dizer que o Canadá é muito caro mas… como pode ? Mesmo pagando os impostos… A Escola é gratuita, saúde gratuita, transporte de qualidade e baixo custo… Aqui no Brasil, um escola (de médio porte em educação infantil) para cada criança está por volta de R$1000,00, plano de saúde uma família de 4 ou 5 pessoas gasta quase ou mais de R$2.000,00, preco da gasolina aqui nem se fala ! Fora as taxas embutidas que o governo não divulga e estão em tudo que compramos… Para piorar agora vamos ter a volta do CPMF… Não vejo como o Canadá pode ser assim tão mais caro… O que vc acha ?

  4. Camila disse:

    Olá Livi!
    Tudo bem?
    Já te acompanho há um tempo mas nunca tinha deixado um comentário!!Adoro a forma como você escreve e sempre tem muitas informações úteis!
    Bem…estamos nos mudando para Toronto no começo de 2016, tenho uma filha de seis anos e tenho pesquisado bastante sobre escolas!
    Uma perguntinha (se você souber ou se não onde eu posso pesquisar): eu morando de aluguel na área de jurisdição da escola consigo matricular minha filha sempre? Pergunto isso pq outro dia li na internet que se você mora em um apartamento tipo condo ( todos apartamentos de aluguel) a escola não aceita a matricula da criança. Confesso que achei meio estranho, pq pesquisando a região que queremos morar e a jurisdição da escola os condos fazem parte.
    Muito obrigada e bom retorno às aulas para sua pequena!!
    Beijos

    • Livi disse:

      Oi Camila,

      Obrigado pelo seu comentário. Adoro quando as pessoas deixam um feedback nas coisas que escrevo.

      Se você mora na área de jurisdição da escola não importa se é de aluguel ou não. Você precisa ter como provar, tipo um contrato ou uma conta. O que acontece as vezes é que a escola está com capacidade máxima e se eles não tem como acomodar não há jeito, tem que ir para outra escola. Minha dica é que você faça a matrícula o quanto antes, para evitar esse problema. A escola do meu bairro tinha 40 vagas para Kindergarten esse ano e tiveram mais de 50 inscrições, os excedentes não puderam ser matriculados. Eles priorizam os que já tem irmão estudando na escola, depois quem mora no bairro e por fim a ordem em que se inscreveu.

      Veja como fazer a matrícula nesse post.

      Estou sempre colocando dicas na fanpage do blog. Curte lá para ficarmos em contato.

      Beijos

  5. Daniela disse:

    Olá Livi, preciso muito de sua ajuda para tomar uma decisão muito importante entre emigrar para Toronto ou Winnipeg. Amo Toronto com todas minhas forças, mas estou quase indo para Winnipeg por conta das facilidades na imigração. Uma das coisas que tem me deixado apreensiva é Saúde e Escola para meu filho de 6 anos. Em Winnipeg temos direito à saúde pública desde o primeiro dia e pelo que entendi, a escola lá é até 15 hs e totalmente gratuita. Como são essas mesmas coisas em Toronto? Eu vou com visto de estudante e meu marido work permit, mas ainda não temos emprego, vamos pegar o que conseguir… agradeço se puder me ajudar nas dúvidas. Grande beijo!

    • Livi disse:

      Olá Daniela,

      Nunca fui em Winnipeg e não saberia comparar com Toronto para te dizer qual a melhor. Aqui o seguro de saúde do governo começa a valer 3 meses depois que imigramos mas há seguros privados que podemos fazer para ficarmos cobertos durante esse período. As escolas são gratuitas e tem programas “before and after class” pagos e subsidiados. Porém é preciso qualificar para receber o subsídio e esperar na fila, que geralmente é longa. Escrevi vários posts sobre as escolas em Ontário, talvez esclareça algumas das suas dúvidas. Dá uma olhada aqui. Um abraço

    • Lilian Lira disse:

      Oi Daniela! Tudo bem! eu também estou nessa dúvida. Prefiro Toronto 10.000 x, mas a obtenção do PR em manitoba é muito mais fácil. Eu irei fazer uma visita exploratória em algumas cidades, mas em winnipeg e vou passar uns 15 dias( vou aproveitar e estudar inglês) e conversar com alguns brasileiros.
      A questão de horário, e custo ambas são as mesmas e saúde não tem problema, pois o college terá seguro saúde extensivo a familia ( pagando por fora).

      Depois me manda teu contato. que na volta vou fazer um resumo e te passo tudo. vamos em março/Abril.

      Lilian lira

  6. Nadia disse:

    Olá como vai?

    Sou formada em pedagogia e apesar de não ter filhos, nem de ter chegado à montréal, gostaria de compartilhar algumas experiências que tive durante minha formação. Bom, eu trabalhei com desenvolvimento infantil durante 2 anos na época em que estudava na UERJ e sempre tive essa preocupação com minha irmã, 12 anos mais nova que eu. E como trabalhei em dois liceus franceses (no subúrbio de Paris), pude comparar a verdadeira realidade de uma escola francesa, o que na prática é bem diferente do que vemos em documentários, filmes e adjacentes. Bom, primeiramente gostaria de dizer que essa é minha opinião e a coloco pois sei o quanto essa “formação” dos filhos é uma coisa que nos preocupa. Em primeiro lugar, esses testes quantitativos não avaliam grande coisa. É como uma prova de vestibular, existem diversos fatores que não podem ser avaliados por uma prova pontual como em geral elas são. A segunda pergunta é: você quer que seus filhos sejam meros reprodutores de conhecimento ou criadores? Em geral, pessoas com perfis criadores não se dão muito bem com esse tipo de exame. Então, como saber se uma escola é boa ou não? Comece a ver pela orientação pedagógica da escola. Eu dificilmente optaria por uma escola religiosa, nem A, nem B, nem C, mas uma formação laica ( plural), que em geral respeita a diversidade e oferece à criança a possibilidade de escolhas, o que uma escola religiosa vai dificilmente oferecer. Eu acredito que a formação do sujeito enquanto cidadão é tão, senão mais importante que a formação categórica (conteudista). Eu optaria por uma escola com uma abordagem mais moderna, talvez Montessoriana, mas para ser moderna, basta que você observe a organização espacial da sala-de-aula. Em geral, as salas mais tradicionais são enfileiradas, já que centram o aprendizado no professor. Uma sala de aula em círculo, ou que possibilite o deslocamento das cadeiras, que possibilite à criança o acesso aos livros, jogos, sem que ela tenha que pedir é ideal. Mas isso não é determinante também.

    Isso tudo vai de encontro às teorias da aprendizagem mais atuais. Hoje em dia, vê-se o aprendizado numa produção em rede e não mais unidirecional como antigamente se imaginava. A criança, na realidade, é levada a buscar o conhecimento e com as diversas tecnologias, ela pode alcançar muito mais coisas sozinha do que imaginamos a priori. É claro que o professor é sempre necessário, mas é essencial que ele tenha essa percepção para não tolir essa vontade de aprender natural da criança.

    Bom, mas chega de teorias, eu só queria te dizer que o nível quantitativo de uma escola nada quer dizer muitas vezes. Para buscar o qualitativo, você pode conversar com pessoas da vizinhança ou profissionais da área que conheçam a escola, conversar com a coordenação, pedir para ver as salas de aula. O sorriso das crianças e o movimento delas te diz muito. Uma sala com crianças desanimadas, com sono, ou apáticas não é um bom sinal. Mas atenção, em geral após o almoço, ao menos no Brazil, elas voltam mais cansadas e com sono.

    Bom, boa sorte na sua busca. E eu tenho certeza que você encontrará o melhor para elas. Observe também o que suas filhas acharão da escola, se as agrada já é um bom sinal. É sempre essencial que a criança esteja feliz e estimulada a aprender.

    Se precisar ou quiser alguma ajuda ainda, pode me procurar. Eu hoje estou terminando letras, com especialização em francês, mas em setembro vou para Montréal e voltarei a trabalhar com a infância, que é o meu grande amor nessa vida.

    Um abraço,
    Nadia

    • Livi (Baianos no Polo Norte) disse:

      Oi Nadia,
      Muito obrigado pela sua resposta, ainda bem que você copiou aqui pois não recebi no Facebook. Tenho procurado conversar com as pessoas sobre as escolas. Em relação a metodologia de ensino só teria opção de escolher se fosse particular. Na Católica ou na Pública, como disse antes, só posso matricular na escola da minha área. Então é aceitar o que tem. Em relação a visitar a escola: não permitem durante o horário de aula para não atrapalhar. Só vou poder saber mais em Junho na seção de boas vindas.

      Que legal que você vem para Montreal! Te desejo boa sorte. Você tem blog?

      Um abraço

    • Ivany Varela disse:

      Olá Nádia,
      Que belo texto o seu, valiosíssimo pra nós que temos esse tipo de preocupação, minha filha tem 12 anos e sonha em fazer ensino médio em Toronto, isso desde pequena.Quero viabilizar esse sonho embora vejo muitas pessoas usurpar disso em valores exorbitantes e isso foge da minha realidade.
      Vejo que vc é engajada no assunto educação e gostaria de saber sua opinião, vale a pena encarar esse sonho?
      Seria possível levá-la pra uma escola publica onde ela teria um bom aproveitamento tanto de nível social e educativo ?
      por onde começar?
      Grande abs e muito obg por escrever tâo bem.Qualquer coisa pode me enviar um email tbm

  7. Nadia disse:

    Eu respondi pelo face, mas não deve aparecer aqui, vou copiar a resposta.. Acho que é um pouco do que já disseram, mas quem sabe não acrescenta e pode te ajudar em algo..
    Beijos,
    Nadia

  8. Deixa a sua filha começar e observa. Se não der certo vocês vêem o que podem fazer. Nem sempre as notas são os melhores indicativos, porque elas são apenas a média das crianças. Pelo menos aqui onde a gente mora, as escolas que tem pouca diversidade econômica tem médias mais altas e as que tem muita diversidade, médias mais baixas, independente da qualidade do ensino. Porque os pais das escolas que tem renda alta normalmente são mais envolvidos (porque tem tempo e/ou interesse), e fazem os filhos estudarem, enquanto os pais que tem renda mais baixa acabam não tendo tempo ou sabendo da importância do envolvimento deles na educação dos filhos (muitos não dão importância mesmo, porque também não tem muito estudo). Não sei se é o caso aí onde você mora, mas pode ser, e você só vai saber quando ela estiver na escola 🙂

    • Não tinha pensado por esse lado da diversidade econômica mas sabe que faz muito sentido e tem a questão da diversidade cultural, que aqui é muito grande (como disse a Marília no outro comentário). Com certeza vou ficar de olho e dando um suporte no estudo da Elena. Mas se a escola não for legal acho que vou ter que me mudar ou ganhar na loteria 🙂

  9. Marilia disse:

    Uma boa opcao eh perguntar para vizinhos como eh a escola. Explico: qdo mudei para meu novo bairro, fiz a matricula na escola e percebi que minha filha fez amizade com criancas vizinhas, entao fui perguntar para as maes e qual a minha surpresa que os filhos dela e de outros estavam na particular. Tem 2 escolas proximas, uma Christian e outra Catholica e ao marcar a entrevista fiquei boba de ver as mensalidades: impagavel.E eles te escolhem, vc tem q provar q faz parte da comunidade, que frequenta igreja, culto..entao,desencanei…foi para publica mesmo, mas os vizinhos salientaram que a escola era otima, alem de nova estva classificada como a 5. escola Elementary School in B.C. Pode comprovar no site…conclusao: minha filha estudou la 6 anos e hj esta no High School de uma particular…no mesmo bairro e se nao tivesse a informacao dos vziinhos ficaria sempre desconfiada, pque minha filha achava tudo muito facil e de uma quadra para outra o conceito de cada escola muda.

    • Obrigado pelas dicas Marília. Já conversei com duas pessoas que os filhos estudaram lá e disseram que a escola é boa, mas sabe como é coração de mãe né. Para entrar nas escolas particulares aqui também é a maior frescura e mesmo que eu pudesse pagar a mensalidade acho que ela não conseguiria uma vaga agora por causa do inglês, ela fala mais português já que fica em casa comigo. Essa opção de colocar na particular quando chegar na High School é uma boa. Por enquanto vou ter que me conformar mesmo.

      • Marilia disse:

        Obrigada pela resposta. Nem todos respondem o que faz o leitor desistir de visitar certos blogs, rs.
        Bem, posso acrescentar q nestes 6 anos vi muita mudanca nesta escola. Bonitinha, cuidada, quase q o mesmo staff com raras mudancas de professores e qdo houveram, deixaram pais bem tristes pque eram profs. carismaticos e que se envolveram no ensino com criancas. Porem, o alunato foi variado!!.
        No 1. ano eram canadenses vizinhos e poucos chineses. Ja no 2.ano, canadenses sumiram e a escola parece q virou uma mini Hong Kong com alguns indianos..Eu observava com atencao de uma “sociologa”, haha , ate para entender este processo. Percebi q casas a venda no bairro, so chineses compravam. La pelo 4. ano, alguns canadenses voltavam e um dia percebi que parecia Nova Dheli, so havia indianos…Comentando com meus vizinhos, eles deram a entender q ficou assim por culpa do governo etc…deram a entender ‘veladamente” o real preconceito com imigrantes do Sul da Asia…..sabe que dei razao para eles? Entendi q a escola particular era uma leve barreira para tantos imigrantes..mas o pior eh que nao se fixaram…como aparecerem, eles somem…fato interessante.
        Conclusao: no ultimo ano a escola ja tinha perdido muito a nota alta e passou para o 45.lugar de BC. Nada mal, mas para quem tinha o 5. lugar, a descida foi grande ne? bjos

        • Oi Marília estou fazendo o possível para responder todos os comentários, também fico meio desanimada se comento num blog e a pessoa nunca me responde, principalmente quando faço uma pergunta. Afinal o blog também é para trocar idéias e experiências né?
          A sua observação e a da Luciana fazem todo o sentido.Muita diversidade cultural (e econômica), cada um pensa uma coisa, nem todos tem a mesma preocupação em dar suporte aos filhos no estudo. Tenho mesmo é que esperar e ver o que vai acontecer, afinal no momento não tenho escolha 🙂

          Nossa que queda mesmo do 5 ao 45! A escola daqui tinha média 7.5 em 2011 e caiu para 6.5 em 2012.

          Bjs

Deixe um Comentário