O que fazer para que nossos filhos continuem falando português

O tema desse mês no projeto Mães no Canadá é sobre como manter o português presente no dia a dia das crianças que moram fora do Brasil. Desde que minhas filhas nasceram eu fiz questão de ensinar português e também nossa cultura. Esse foi o idioma que elas falaram primeiro e conversavam bem, até o momento que começaram a ir para a escola.

Português

Quando elas eram mais novas e estavam só em casa, eu escolhia as atividades, de uma forma que houvesse bastante contato com o português. Além de conversarmos entre si na nossa língua mãe, eu lia livros, colocava programas brasileiros, cantava musiquinha, contava histórias e encontrava com outros brasileirinhos. Estava tudo indo muito bem. Vocês podem ler um pouco sobre a minha experiência com o bilinguismo nos posts abaixo, inclusive tem várias ideias do que fazer:

Minha experiência com o bilinguismo morando no Canadá

5 mitos sobre o bilinguismo

Bilinguismo: a importância de uma viagem ao Brasil

Nossa experiência criando filhas bilíngues

Alfabetização de crianças bilíngues

Porém, quanto mais elas crescem, o título do artigo passa a ter uma grande interrogação no final. O que fazer para mantê-las interessadas em continuar falando português? Entendam, não é forçar a falar e sim manter o interesse. Porque elas sabem falar e eu só falo português com elas.

A realidade é que era muito mais fácil manter as minhas filhas interessadas quando eram pequenas. Agora que estão crescendo, está cada vez mais difícil. Teoria e prática são duas coisas bem diferentes. Aqui em casa não importa o que a gente faça, o equilíbrio entre os dois idiomas já não é mais o mesmo. Elas passam a maior parte do tempo em contato com o inglês e já não se interessam pelo português.

Antes eu colocava programas na TV e elas adoravam, hoje dizem que é estranho e que não assistem de jeito nenhum. Nem se for um programa que elas gostam, dublado.

Elas entendem praticamente tudo, porque só falamos em português, o problema é responder. A mais velha (10 anos) fala mais português, as vezes ela mistura com inglês quando não consegue achar a palavra correta, ou pergunta como diz tal coisa em português. O que é normal. A mais nova (8 anos) é mais resistente, tem horas que não quer falar de jeito nenhum. Responde tudo em inglês. E eu fico insistindo para ouvir o português. Entre si o idioma é inglês. Entre as amigas, mesmo filhas de brasileiros, também só inglês.

A minha mais velha começou a aprender a ler em português porém já não se interessa mais.

Em Toronto, temos opções de atividades que ensinam português e cultura brasileira para crianças menores. Mas sinto falta de atividades direcionadas a crianças mais velhas e adolescentes.

A questão também não é a falta da cultura, pelo contrário, elas amam tudo do Brasil com um amor tão grande que parece que nasceram lá. Gostam de muitas coisas brasileiras e até as comidas que elas preferem são nossas. Aqui ninguém vive sem feijão ou pão de queijo! O problema mesmo é manter as pimpolhas interessadas em continuar falando o nosso idioma.

E eu fico sem querer impor o idioma ou uma atividade e terminar associando o português a um sentimento negativo. Mas ao mesmo tempo, não quero deixar a peteca cair. Então sigo tentando e continuo só falando português com elas.

O único incentivo que ainda funciona aqui é o contato com a família no Brasil. Uma conversa pelo WhatsApp motiva muito as meninas a falaram português. E toda vez que viajamos para a terrinha também! Aí sim, o português fica uma beleza!

Seria muita hipocrisia da minha parte dar conselho do que fazer, quando eu mesma estou meio perdida. Então, se alguém tem filhos mais velhos e está conseguindo ganhar a batalha de manter o interesse no português, aceito sugestões.

Projeto Mães no Canadá

Esse post faz parte do Projeto Mães no Canadá, onde eu e outras blogueiras/Youtubers brasileiras, contamos nossas opiniões e experiências sobre um mesmo tema.

Passa lá nos outros blogs/canais para conferir os relatos das outras mães:

Alessandra | Canadiando
Amanda | Viva Canadá
Beatriz | Biba Cria
Carol | Fala Maluca
Carol | Minha Neve e Cia
Danielle | Vidal Norte
Gabriela | Gaby no Canadá
Mariana | De Bem Com a Vida
Renata | Mala Inquieta
Vanessa | Partiu Canada

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Renata disse:

    Eu acho que o importante é eles entenderem e conseguirem se comunicar com a família! Sempre vai faltar vocabulário, mas se no futuro se interessarem pela língua podem ter aulas. em casa sou a única a falar português e não temos conta do nenhum com a comunidade (os amigos são da escola), então é complicado, mas quando eles vão de férias da casa da avó conseguem falar sem problema!

  2. Kleber disse:

    As minhas filhas são nascidas aqui e têm 22 e 20 anos, respectivamente.

    A minha experiência é igual a sua: antes de irem para a creche, foi só português, mas sempre soubemos qual seria, naturalmente, a primeira língua delas.

    Já no jardim de infância tivemos que deixar o inglês entrar em casa por causa dos deveres: tinham que ler a literatura daqui (no começo nós líamos para elas) e não tinha nada a ver traduzirmos porque elas teriam que falar sobre a leitura na escola.

    Da 1’ série em diante, os trabalhos de casa exigiam inglês e na 4’ série, com a imersão (de meio expediente) em francês, entrou mais uma língua.

    Mas as conversas no jantar e em casa sempre foram, de maneira geral, entre nós, em português … e o são hoje em dia.

    Culturalmente, são canadenses (o que é de se esperar) mas com um carinho especial por alguns aspectos da cultura brasileira. Outros elas não compreendem porque batem de frente com a cultura delas.

    Falam um português “arcaico” (o que aprenderam com os pais), o que os primos lá no Brasil volta-e-meia enfatisam, daí elas preferem falar com adultos. E quando chateiam-se com os primos (por não terem o vocabulário do dia-à-dia de lá), conversam entre elas em inglês em contrapartida.

    Não sei o que vai acontecer com as próximas gerações (pensando nos filhos e netos de imigrantes no Brasil) mas pelo menos com esta o português ainda se mantém.

    Embora percebamos que o seu português não é perfeito, a minha esposa e eu elogiamos bastante o fato delas se comunicarem conosco na língua dos pais. Temos amigos que abriram a mão do português e os filhos sentem-se entediados de irem ao Brasil por não conseguirem se expressar.

    Então a minha dica é: por mais que ofereçam uma certa resistência, fale sempre com os seus filhos em português. As minhas filhas, hoje, nos agradecem por sempre termos insistido.

  3. Gisele disse:

    Cheguei em Toronto há seis meses. Dois filhos. Um de 6 anos e uma de 3 anos.
    O de 6 anos está indo a escola e se virando no inglês. A de 3 anos vai começar o childcare mês que vem. Semana passada me peguei chorando, triste de verdade pensando nessa questão. Como vou fazer minha filha continuar o português, sendo que maior parte do tempo estará em contato com o inglês?! Obrigada por compartilhar! Abraços!

    • Livi disse:

      Gisele,

      Leia meus outros posts sobre bilinguismo. As dicas vão ser bastante úteis para a idade dos seus filhos. No mais vamos continuar trocando ideias, um ajudando o outro com dicas e relatos. Lá na nossa página do facebook, o pessoal está dando várias dicas legais. E vamos manter essa gurizada falando nosso português! Beijos

Deixe um Comentário