Projeto Mães no Canadá: Eu antes e depois da maternidade

Para quem ainda não sabe, participo do projeto Mães no Canadá e todo dia 2o publico um post contando a minha opinião ou experiência sobre um determinado assunto relacionado a maternidade. Em março o tema escolhido foi “mudanças mais significativas na nossa vida depois de nos tornarmos mães”. Já escrevi um post falando sobre o que aprendi sendo mãe no Canadá (clique para ler), que trata mais ou menos do mesmo assunto. Então agora vou falar de uma forma mais abrangente.

A minha vida mudou bastante desde que minhas filhas nasceram até hoje. Agora elas estão com 6 (quase 7) e 9 anos e essas mudanças já não parecem ser tão radicais quanto foram no começo. Algumas das coisas que abdiquei antes hoje já se tornaram rotina e outras até já tenho de volta. Como o direito de poder dormir até mais tarde no domingo, de vez em quando (risos).

Claro que seria impossível listar tudo que mudou em mim após a maternidade. Então selecionei as 6 primeiras coisas que me vieram à cabeça neste momento. E como sempre, dou aquele aviso padrão de que isso é a minha experiência e opinião pessoal, não uma crítica ao estilo de vida e escolhas de ninguém.maternidade

1- O meu sono

O meu sono nunca mais foi o mesmo depois que tive as meninas. Mesmo depois que passou a fase de acordar de noite para trocar fraldas e/ou amamentar, nunca mais voltei a ter um sono pesado como antes. Agora o meu sono é super leve e se as meninas respirarem diferente no outro quarto, eu acordo.

E como diz o ditado, filho criado, trabalho dobrado. Então acho que continuarei com esse sono ruim por muito tempo.

2- O meu dia encolheu

Antes delas nascerem a minha vida era muito mais tranquila e não tinha noção de quanto tempo eu tinha sobrando para desperdiçar com bobagem. Aliás toda vez que vejo alguém sem filhos reclamando de falta de tempo, dou aquela risada alta por dentro. Sabem de nada…

Depois das meninas parece que o dia já não tem mais 24 horas. A impressão que tenho é que divido minhas 24 horas com mais duas e portanto meu dia fica menor e o delas maior.

Por mais que eu planeje, nem sempre consigo fazer tudo. Especialmente aqui no Canadá que não tenho a família por perto para dar suporte. Tive que aprender a lidar com isso e me concentrar nas coisas que realmente importam. Mas faz parte do pacote, não é?

Então estou sempre atenta em como gasto o meu tempo para que eu possa aproveitar da melhor forma possível cada minuto que tenho para dar conta do recado.

3- As minhas prioridades mudaram

Com a maternidade, muitas coisas que pareciam ser fundamentais na minha vida perderam o sentido. Já não tenho tanta necessidade de ser tão consumista ou de ter o eletrônico mais moderno, por exemplo. Hoje me preocupo menos com bens materiais e mais com os momentos que temos em família. E também com a experiência positiva que quero passar para elas.

Me preocupo mais com o futuro do que antes, especialmente o das meninas. Sempre penso muito antes de comprar qualquer coisa. Será que isso é realmente necessário? Isso é uma comida saudável? Que benefícios vai me trazer? não estou falando do básico, estou falando dos extras e supérfluos.

Antes da maternidade eu podia me dar ao luxo de me dedicar exclusivamente a mim. Não que eu tenha deixado de ser vaidosa ou me cuidar, mas tem dias que realmente isso fica em segundo plano.

Antes eu era mais egoísta e pensava somente em mim, no sentido de ter e fazer o que eu queria, ou o que eu gostava. Hoje descobri que é possível também ser feliz através do olhos delas.

4- Me preocupo mais com as minhas palavras e atitudes

Não que eu saísse por aí agindo de forma errada ou desrespeitando todo mundo. Quero dizer que me preocupo no sentido de ser um exemplo para as minhas filhas. Porque não adianta eu dizer para fazer uma coisa e fazer outra. Já falei isso no post sobre minha filosofia para criar filhos. Antes eu agia meio que no piloto automático, agora presto muito mais atenção no impacto que minhas palavras e ações terão na formação delas como pessoa.

5- A minha vida profissional ficou de lado por um tempo

Tá, eu sei que isso foi uma opção minha mas mesmo assim foi uma grande mudança na minha vida pois estava acostumada a trabalhar desde cedo.

Pensei muito antes de tomar a decisão de largar o emprego e ficar em casa. Ponderei os custos e as necessidades das minhas filhas e cheguei a conclusão que era a decisão certa a ser tomada naquele momento. Elas precisavam muito mais de mim, do que eu do dinheiro que ia sobrar depois de pagar os custos da creche, que são bem altos em Toronto.

Depois de um tempo voltei para a escola e fiz o curso de graphic designer pois queria um trabalho que me desse a flexibilidade de ter o melhor dos dois mundos. Ter uma carreira e ainda poder estar com minhas filhas, ajudar nos estudos e levá-las para as atividades depois da escola.

Hoje vejo que todo aquele sacrifício valeu a pena e sou uma pessoa muito mais feliz. E agradeço sempre por ter um marido que me apoiou em todo o processo.

6- Mudei como pessoa

Sem dúvida a maior mudança de todas foi me transformar como pessoa assim que a minha primeira filha nasceu. Tudo isso que falei acima, assim como a forma de exergar o mundo mudou num piscar de olhos. Aprendi ali naquele momento o significado do que é amar incondicionalmente. Por elas aprendi a fazer coisas que nem imaginava que seria capaz. Naquele dia não nasceu somente uma criança, nasceu uma mãe.


Outras blogueiras do projeto

Adriane | Like a New Home

Carol | Fala Maluca

Carol | Minha Neve e Cia

Gabriela | Gaby no Canadá

Mariana | De Bem Com a Vida

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Carol disse:

    Muito boa sua reflexao Livi, me identifiquei em muitos aspectos. Bjao pra tu

  2. Gabriela disse:

    Muito bom o texto Livi. Beijos

Deixe um Comentário