Lagos Moraine, Louise, Morant’s Curve e Johnston Canyon

No segundo dia da nossa viagem às montanhas rochosas acordamos cedo para visitar os dois lagos mais badalados da região, Moraine e Louise, que ficam bem próximos um do outro.

Há dois caminhos para chegar lá a partir de Banff, pela autoestrada Trans-Canada (Hwy 1) ou pela Bow Valley Parkway. A diferença entre as duas é que a primeira é toda cercada e possui passarelas para os animais, então suas chances de ver qualquer bicho é quase nula. O limite de velocidade também é maior da Hwy 1.

TransCanada-2

Os bichos atravessam a rua nessas pontes.TransCanada-1

A Bow Valley Parkway é uma estrada secundária bem no meio do mato, então é mais fácil encontrar ursos ou cervos, de manhã cedo ou no fim da tarde. Fomos pela Trans-Canada na ida e voltamos pela Bow Valley mas infelizmente não vimos nenhum bicho dessa vez. bow-valley-parkway-1

Moraine Lake


MoraineLake-7Chegamos no Lago Moraine por volta das sete horas da manhã, paramos o motorhome para garantir a vaga e só depois tomamos café. O estacionamento é pequeno e as vagas para RVs são limitadas.

Essa decisão de ir primeiro lá foi ótima pois quando saímos às 11:30h a estrada estava fechada para quem tentava ir. Os guardas florestais fazem isso para minimizar a invasão de turistas e porque a estrada é bem sinuosa e não tem espaço mesmo para estacionar.

Aliás, o caminho para lá é um espetáculo a parte.

TransCanada-3 TransCanada-4

Esse lago, de 0,5 km2,  foi descoberto por um estudante em 1899, que ficou super encantado com a beleza do lugar. “Foram os trinta minutos mais felizes da minha vida”, ele escreveu em seus diários.

O nome Moraine, significa acúmulo de rochas e sedimentos trazidos pelas geleiras. Esses sedimentos que dão a cor azulada dos rios e lagos na região. O tom vai depender da concentração dos minerais na água. Se for demais a água fica leitosa e se não for suficiente a água vai clareando até perder a cor.

MoraineLake-6 MoraineLake-5

Para mim foi emocionante chegar naquele lago de água azul, escondido no meio do Vale dos 10 Picos. É tão azul, mais tão azul que parece que foi pintado (as fotos não estão photoshopadas). Uma sensação indescritível de paz e grandeza tomou conta de mim.

Existem várias trilhas e nós escolhemos as duas mais fáceis para fazer com as meninas, a primeira pelas margens do Moraine e a segunda até a montanha de pedras, chamada Rockpile. As trilhas começam no estacionamento e estão sinalizadas num mapa. Vi algumas pessoas tentando escalar as pedras pelo lado que dá para o lago, vá pela trilha que é muito mais fácil e menos perigoso.

De lá de cima temos a vista mais linda do lago. A paisagem é o fundo da antiga nota de $20.

moraine-lake-10MoraineLake-8 moraine-lake-11 MoraineLake-9

Há um único hotel na beira do Moraine e é também o único restaurante. Eles alugam canoas, que custam $55 por hora. Nós preferimos andar e explorar tudo.

MoraineLake-3 MoraineLake-2

Lake Louise


lake-louise-5O Lago Louise é o mais famoso e visitado do Parque Nacional de Banff. O estacionamento é maior que o do seu vizinho, Moraine, mas mesmo assim não é suficiente para o número de turistas.

Ele era conhecido pelos nativos da região como Lago de Peixes Pequenos e em 1882 foi apresentado a um funcionário da estrada de ferro canadense (Canadian Pacific Railway). O nome Lake Louise foi dado em 1884 em homenagem a uma das filhas da Rainha Victoria.

Chegamos em plena hora do almoço e haviam carros parados na beira da estrada pois estava tudo lotado. Mesmo assim entramos no estacionamento e tivemos sorte de encontrar uma vaga para nossa casa ambulante.

Com águas esverdeadas, o lago Louise tem uma beleza singular. Nem dá para acreditar no que estamos vendo de tão belo.

Uma dica para aproveitar mais é visitar bem cedo, ou no fim do dia, para evitar a multidão de gente que circula por lá. A fila para alugar uma canoa tinha espera de 1 hora, precisa dizer mais? E era mais cara que no Moraine.

lake-louise-8Lake-Louise-1lake-louise-4 Lake-Louise-3

O famoso hotel Chateau Lake Louise foi a evolução de pequenos chalés que começaram a ser construídos nas margens do lago em 1890. Nós fizemos um pequeno tour por dentro, olhamos as lojinhas e compramos um sorvete. Quando eu crescer quero me hospedar lá. 🙂

lake-louise-6

lake-louise-7

Aqui também há várias trilhas que levam a mirantes, lagos e até uma casa de chá nas montanhas. Por causa do tamanho e da dificuldade delas preferimos não ir com as meninas. O maridão fez sozinho a mais fácil até Fairview Lookout, que é 3,6 Km ida e volta, com uma subida de 125m. A vista é essa aí da foto abaixo. Segundo ele, o caminho em si não é muito interessante, só a vista mesmo. Ele acho que para crianças seria um pouco cansativo.

Lake-Louise-2

Morant’s Curve


Já era fim da tarde quando saímos do Lago Louise e como aqui é dia até depois das 22 horas resolvemos voltar pela Bow Valley Parkway e visitar mais lugares.

Nossa primeira parada foi na curva de Morant, o local ficou famoso por causa de um fotógrafo da Canadian Pacific Railway chamado Nicholas Morant. A foto da curva foi, e ainda é usada hoje pelas cias ferroviárias em inúmeros materiais promocionais. Com certeza você já ouviu falar do trem que cruza as rochosas, chamado Rock Mountaineer. Senão, dá uma olhada no Google que vai aparecer inúmeras fotos dele nessa curva.

Eu queria uma foto com trem, esperamos mais de uma hora depois do horário que ele deveria passar mas ele não apareceu. Valeu a parada pois a vista é espetacular.

morants-curve-3 morants-curve-2 morants-curve-1

Johnston Canyon


johnston-canyon-10

A trilha do Johnston Canyon é bem popular por causa da facilidade e da paisagem deslumbrante. Você pode escolher fazer somente a caminhada até a primeira cachoeira, como nós, ou seguir até a segunda. A primeira cachoeira fica a apenas 1,1km do estacionamento e levamos mais ou menos 30 minutos para chegar. Para ir até a segunda cachoeira precisaríamos andar mais 1,5 km e por causa do horário desistimos.

As meninas finalmente encontraram um urso na floresta 😉

johnston-canyon-5 johnston-canyon-3 johnston-canyon-2 johnston-canyon-1johnston-canyon-4 johnston-canyon-8 johnston-canyon-7

Como chegamos mais tarde, não tivemos problemas com multidão de gente, minha dica é deixar para visitar o canyon depois das 16 horas. A plataforma onde caminhamos é estreita e imagino que deva ficar bastante “engarrafada” entre 10 e 16 horas.

Voltamos para Banff acabados mas com uma sensação de ter aproveitado bem o dia. No próximo post tem Ice Fields Parkway, a estrada mais linda do mundo!

Informações Úteis


– O caminho para o Lago Moraine só fica aberto de maio ao início de outubro, por causa do risco de avalanche. Consulte o site do parque para mais informações.

– Repelente é indispensável, especialmente nas trilhas que entram na floresta, como Johnston Canyon.

– Todos os estacionamentos dentro dos parques são gratuitos mas fiquem de olho no tipo de carro permitido em cada vaga.

– Coordenadas de GPS:

 

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida no Canadá

Você pode gostar...

9 Resultados

  1. Ana disse:

    De cair o queixo, né Livi? Acredita que eu não fui no Moraine? Só no Louise, mas por falta de tempo mesmo, cansaço… vou contar lá no meu blog depois. E as meninas encararam bem as caminhadas? As minhas reclamavam de tudo, mas foram! hahahahhaah

    • Livi disse:

      Poxa que pena…precisa voltar então 😉
      Quanto as meninas, nessa viagem tiveram tantos estímulos que até foram bem, só reclamavam no fim do dia mas andavam hahaha
      Beijo

  2. Romulo disse:

    Caracas, como a natureza é maravilhosa! 🙂 Meu, as fotos da linha do trem parecem pintura, q espetáculo!!!

  3. Carina disse:

    Oie Livi, vou no mês q vem.. Estou adorando seus posts.. Valeu pelas dicas. Bj

  4. Lis disse:

    Fotos maravilhosas como sempre! amei!!! =D

Deixe um Comentário