Blog Action Day 2010: Água

Hoje é o Blog Action Day, um evento anual onde os blogueiros escrevem sobre o mesmo tema para chamar a atenção sobre alguma questão de relevância mundial. Todos no mesmo dia, cada um no seu blog. Esse ano o tema é “água”.

Muita coincidência, esses dias estava assistindo um programa sobre o mar chamado One Ocean, apresentado por ninguém menos do que o David Suzuki, ambientalista canadense. Um documentário em 4 partes falando sobre a importância dos oceanos, sua força, ecossistemas e o seu relacionamento com os seres humanos ao longo da história. E propondo soluções para os principais problemas infrentados atualmente. O documentário pode ser assistido online (pelo menos aqui no Canadá), basta clicar no link One Ocean acima e depois nos episódios (tudo em inglês).

Quando li que o tema do Blog Action Day desse ano era água, milhões de idéias passaram pela minha cabeça. Afinal há tanta coisa para ser dita sobre o tema, podia falar da dificuldade para se encontrar água em lugares como a África ou sertão do Brasil, ou sobre a poluição dos mares e rios, destruição de corais, pesca predatória, desperdício de água, o desastre no golfo do México, enfim todas essas coisas politicamente corretas que todo mundo fala e quase ninguém faz nada para mudar.

Mas quer saber, são todos temas batidíssimos e que todo mundo está cansado de saber. Então resolvi falar sobre o que, em minha opinião, causa a maioria desses problemas: o dinheiro.

Pensem bem, a maioria das pessoas só se preocupa em poupar ou conservar, seja lá o que for, quando dói no bolso. Se a água fosse mais cara, as pessoas poupariam mais. Vou citar o exemplo Brasil e Suiça. No Brasil o povo gasta água como se não houvesse amanhã. Para uma empresa no Brasil sai mais caro investir num processo de reciclagem de água do que usar e jogar fora água limpa. Na Suiça ninguém nunca sonharia em fazer uma vassoura hidráulica pois água é cara demais para ser desperdiçada.

Enquanto não há interesse econômico, sai mais “barato” deixar o povo morrendo de sede nas áreas secas. Vou citar o exemplo do vale do são Francisco, onde foi feita irrigação e hoje há plantações de frutas, principalmente uvas, e até criação de peixes. A irrigação trouxe água para uma região seca e trouxe um enorme crescimento econômico para a região = $$$$. Em outras áreas onde não há nenhuma promessa de retorno econômico o povo fica esquecido, andando quilômetros atrás de água, que na maioria das vezes nem é limpa.

Talvez se as pessoas fossem constantemente lembradas do seu impacto no mundo seriam um pouco mais cuidadosas. Talvez se pudessem visualizar a consequência de cada ação, as coisas seriam diferentes.

Nessa linha de pensamento, o designer chinês que mora em Londres, Yan Lu, criou uma pia que utiliza um aquário com peixe vivo para estimular, emocionalmente, o consumo consciente da água. O projeto chama-se “Poor little fishbowl sink” (algo como o pobre peixe na pia-aquário).

A água do aquário sobre a pia começa a descer assim que se abre a torneira, mas volta ao normal assim que a torneira é fechada. A água não é drenada totalmente, caso você deixe a torneira aberta e o peixe não corre risco de vida em nenhum momento. Mas imagine o susto que a pessoa leva quando vê o peixe prester a descer pelo ralo. Pense nisto toda vez que deixar a água aberta: água é vida!

Livi

Baiana expatriada em Toronto. Adora escrever sobre suas viagens em família e experiência de vida em Toronto

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. celmartin disse:

    Amiga, eu nem sabia disso! É um tema estimulante, mas você tem razão. Muita coisa foi dita e pouca coisa feita, principalmente aqui no Brasil. E como efeito psicológico, “matar” um peixinho é mesmo assustador. Mas enquanto não doer no bolso, o povo aqui continua lavando carro, calçada, quintal na base do esguicho. bjokas!

Deixe um Comentário